quinta-feira, 31 de março de 2011

A Irlanda é nossa amiga!

A Irlanda dá uma ajuda para ultrapassar a crise. http://www.independent.ie /opinion/analysis/bit-of-friendly-advice-portugal-2596178.html Era bom ouvir os bons conselhos!

Tema do Dia XXIV

Estamos a chegar a um ponto em que não devemos confiar nos politicos? Então confiamos em quem?

quarta-feira, 30 de março de 2011

Factos da Década(14) : Surgimento das Redes Sociais

Primeiro começou a moda do mIRC. Depois apareceu o HI5, Orkut, myspace e há três anos atrás o Facebook veio introduziu um novo conceito de relacionamento virtual. Novas amizades, criação de grupos, as empresas fizeram as suas páginas de forma a chegaram a um maior numero de publico, partilha de fotografias e até curiosidades sobre a vida privada.

A década que passou foi sem duvida a do boom das redes sociais. O ser humano que é um ser relacional necessita de estar permanentemente em contacto. Foi o que estes instrumentos que têm um pau de dois bicos, trouxeram para uma geração que nasceu com a internet. Digamos que o Facebook foi a conclusão de todos os projectos anteriores.

Mas nem só a geração mais nova foi seduzida com a virtualidade. Também os mais velhos, habituados a passar o serão com a familia, a ler ou a ver televisão também já se rendeu ás maravilhas deste brinquedo. Saindo um pouco do snobismo que os afastou durante muito tempo da Internet.

E o que trouxeram as redes sociais? nomeadamente maior interactividade, possibilidade da rede de contactos ser mais vasta, nomeadamente para quem possui blogues. E nos dias de hoje, a frase "hoje em dia todos têm facebook" faz mais sentido do que nunca. Mas não foram só as pessoas a aderirem a esta revolução. Também as empresas apostaram neste campo, ao expandirem a sua marca não só nos meios de comunicação tradicional, mas também nestes novos formatos em que a interactividade é maior devido à presença de um perfil que está ao alcance de todos. Hoje em dia não há anuncio nenhum em que não venha a pagina do Facebook da dita empresa.

Mas nem só de aspectos positivos vivem as redes sociais. O vício e o isolamento são dois dos maiores perigos desta nova forma de comunicação e até de fazer amizades. Muitas das vezes os nossos melhores amigos são aqueles a quem passamos na rua mas não o conhecemos. Mas porque falamos com ele diariamente e virtualmente já nos são intimos. É acente que as redes sociais estão ligadas a pessoas com dificuldade em se relacionar e utilizam-na para se sentirem mais cómodas porque é mais fácil falar através de um ecra do que olhar nos olhos. Também existem casos de pessoas que utilizam estas redes para seduzirem outros. Nomeadamente menores....

Como tudo na vida, há os pros e contras mas devido às inumeras ferramentas que as redes sociais nos permitem utilizar, o saldo é claramente positivo, até porque a relação "palpavel" é a que predomina. E sempre predominará, embora a tecnologia seja cada vez mais evoluida.

Agora resta-nos esperar pela próxima invenção que mudará o mundo da tecnologia

Assembleia de Pinguins - A Morsa apresenta-se XXXXI

(...)

A porta da casa de Zéguim foi alvo de dois batimentos.

Atrás de um pequeno Pinguim, surgiu um enorme vulto. Uma criatura gigantesca, de cor cinzenta, com uma cara carrancuda, umas patas enormes e mais do que isso o que mais saltava à vista era os enormes dentes que o animal trazia consigo. Os restantes presentes ficaram impressionados com tamanha figura. Uns boquiabertos, outros sentiram medo....Só queriam fugir dali.

- Esta é a Antalya. - Foi assim que Luisim apresentou o seu mais recente amigo. Fomos buscá-la às catacumbas da Ilha Misteriosa.

- Olá a todos - Antalya sorriu o quanto pôde, embora denotando alguma timidez inicial. ´

- Olá Antalya - responderam todos em uníssono, como que estando sem saber o que fazer.

- Cara Antalya, Luisim e Dioguim trouxeram-te da ilha misteriosa. Qual foi a razão de teres ficado por lá durante muito tempo, segundo o que se consta.... - quis saber Zéguim.

- Em primeiro lugar tive um problema com a minha tribo que vivia na África do Sul anos antes do aquecimento global. Quando já vivia aqui, por erro comi um leão marinho e então a população revoltou-se. O meu castigo foi ficar isolado para o resto da vida naquela ilha. Em boa hora surgiram dois amigos que me salvaram da minha dor e me puxaram para cima. Se não fosse Dioguim e Luisim, teria uma morte dolorosa e lenta.

Os dois tiveram um enorme orgulho ao serem lembrados pela Morsa.

- Estou a ver que o Luisim não é apenas aquele miudo traquinas que só quer surfar e namorar. - disse em jeito de provocação Zéguim

- Ele é uma mente brilhante, sr Z. Se não fosse a sua persuasão ainda continuava enfiado naquela rocha triste e sem ver a luz ao fundo do tunel. Deviam reconhecer mais qualidade no pinguim que há dentro dele.

- Quem sabe um dia posso ser o lider espiritual desta tribo - desabafou Luisim.....

A sala toda começou a rir, inclusive Antalya.

- SOCORRO!!!! SOCORROOOOOOOOO, a Assassina voltou!!! a Orca Assassina está de volta a estes mares!!! estava a tomar banho e de repente vi uma Orca!!!! SOCORROOO!!!!!!!

- Que se passa? Que gritaria é esta? - Zéguim saiu da sua toca e foi ter com a população.....

- Eu vi! Eu vi a baleia Assassina mestre!!!! Agora nem sequer podemos ter descanso!!! O que fazemos???!!!!!

- Só nos resta lutar, porque a oratória já não nos serve para nada......

( continua dia 1 Abril)....

terça-feira, 29 de março de 2011

Testes de Sinceridade I : Sabe onde fica?

Num momento em que todos acham que a nossa sociedade é cada vez menos séria, vamos fazer alguns testes de sinceridade para aferir da nossa credibilidade

A situação é a seguinte : Vem alguém perguntar se sabemos onde fica determinado sitio. A nossa reacção é :

a) Não sabemos o sitio, e dizemos simpaticamente, pedindo desculpa; que não sabemos onde se encontra o local

b) Não sabemos o sitio, mas para gozar com essa pessoa mandamo-la para um local que nada tem a ver com o pretendido.

c) Sabemos o local, mas por maldade não o vamos dizer.

d) Dizemos que não sabemos de uma forma mal educada

Escolham as vossas respostas mas sejam sinceros

segunda-feira, 28 de março de 2011

8.4 - O cabo da Boa Esperança

A dobragem do Cabo da Boa Esperança foi um dos maiores feitos que a História de Portugal assistiu. Vencendo medos, receios, e mitos como o do Adamastor; os navegadores portugueses quiseram dobrar o cabo com toda a pompa e circunstância e assim começar uma nova fase : a chegada por via marítima à India e a conquista do Oriente. Em 1488, o navegador Bartolomeu Dias conseguiu o feito com ajuda dos ventos e marés que por ali se fazem sentir. Devido a esta instabilidade o marinheiro chamou-lhe cabo das Tormentos, mas D.Joao II quis que ele fosse da Boa Esperança porque unia o Oceano Atlântico e o Indico. Mas não só. Passar o cabo significava chegar à India e ao Oriente onde se encontravam as grandes especiarias e todo um mundo desconhecido por conquistar. Esta dobragem também foi importante porque permitiu aos portugueses se adiantarem aos espanhois. Com o tratado de Tordesilhas claramente favoralmente aos portugueses, havia que conquistar novos mundos até porque Africa já não era uma novidade.

Este cabo deu origem à Cidade do Cabo e é um dos locais mais visitados do Mundo. Como homenagem, existe uma estatua do navegador português na cidade.

Tendo apenas um significado histórico e não muito relevante em termos de factos e conteudo, a passagem do Cabo não podia deixar de ser esquecido na nossa passagem pela História de Portugla. Seria um crime de lesa-patria

(continua dia 11 de Abril)

Os coelhinhos da Merkel

A semana passada assistimos a uma vergonhosa declaração de Merkel no Parlamento Alemão sobre a não aprovação das medidas do PEC IV na Assembleia da Republica. É impressionante verificar a forma desmedida como a Chanceler Alemã mete o bedelho num Estado soberano como é o português. Há que relembrar à Sra que a História portuguesa tem quase 800 anos. Muito mais que a da Alemanha. Merkel não é presidente de nenhuma instituição europeia e a Alemanha não é quem na União Europeia. Estes tiques de ditadora que a Sra Merkel tem perante os países mais pequenos tem que acabar e foi pena que os nossos politicos não lhe tivessem dado nenhuma resposta. E de Lisboa não veio nenhuma indignação, porquê? Porque infelizmente para nós tanto Sócrates como Passos Coelho são dois paus mandados da chanceler, apesar de dizerem que não.

Ora, Passos Coelho no dia depois de saber que está quase a ser Primeiro-Ministro foi baixar a cabecinha a Merkel e garantir continuidade na austeridade. Depois de ter domado Socrates e lhe ter estado grata, é a vez de outro Coelho fazer papel de obediente às exigências da Alemanha. Ora, a Europa e os países periféricos têm de se unir para não permitir ingerências politicas, porque já vimos que vai ser impossível a participação de outros Estados no pelotão da frente das politicas económicas dos países do Euro.

Para que servem as instituições europeias?Por diversas vezes já questionei isso aqui!. A unica salvação para Portugal é a Sra Merkel perder as eleições na Alemanha e ir para casa. Em Portugal muitas pessoas ficavam contente

domingo, 27 de março de 2011

ESTAMOS FODIDOS

1 – A demissão anunciada de José Sócrates e a consequente queda do Governo é mais um triste episódio desta “soap opera” que teimam em nos servir nos telejornais vespertinos. Os protagonistas são todos canastrões, a orquestra desafina E o maestro é surdo. Depois da demissão, os partidos preocupam-se se as eleições vão ser a 29 de Maio ou 5 de Junho!!! Extraordinária preocupação. Apetece dizer que a democracia é cara. Um luxo. Um bem raro que os partidos políticos esbanjam. Será assim? Porque não conseguem, então, os partidos regenerar-se, renovar-se?

2 – A verdade é que os partidos políticos, sem excepção, estão entregues a “apparatchicks” cujo único intento é perpetuarem-se no poder. A ideologia deixou de interessar. A ética foi substituída pelo marketing. O debate pela retórica. O bem comum, pelo interesse pessoal. Curiosamente, os partidos do leque governamental afirmam todos só terem uma preocupação: governar e defender o país. E fazem-no conforme entendem, contra tudo e contra todos, independentemente do pais querer ou não. Esta afirmação “patriótica” é o único objectivo ideológico desses partidos do Centro. Tudo o resto é absolutamente secundário.

3 – Como se chegou aqui? A direcção das máquinas dos grandes partidos vai sendo progressivamente açambarcada por uma classe profissional desejosa de poder e que vai afastando os militantes. Essa classe acaba por se tornar indispensável, na lógica da conquista do poder. Eles dominam o “aparelho”. Estão por dentro. Manipulam as regras. Eternizam-se no poder partidário. São inamovíveis. A renovação faz-se pela idade e, mesmo essa, é controlada e circunscrita parcimoniosamente. As oposições internas são absorvidas, com cargos e promessas, perdendo rapidamente a credibilidade como facções. Resta-lhes aderir ao “establishement”. A democracia desaparece no interior dos partidos. Deixa de haver “estímulos ideológicos”. A mudança é mera adaptação. Um reposicionamento táctico para não perder o poder. As motivações patrimoniais sobrepõem-se a tudo. Os partidos passam a ser “agências de emprego”. Em breve surgirão os oportunistas que vêem na política um trampolim para multiplicar os seus proveitos pessoais. A política partidária deixa de ser um jogo ideológico, para ser um jogo de interesses pessoais. Trocam-se favores. Cede-se aqui, para se obter ali. O povo deixa de interessar. Já nem o voto assusta. Hoje um partido, amanhã o outro. Tanto faz. Partidos sem ideologia não conseguem formular propostas e políticas públicas consistentes e coerentes. Estes partidos são clientelares, nepóticos e patrimoniais. Há um total desprezo pelo serviço público, visto como um embaraço ao desenvolvimento dos interesses pessoais desmedidos. Há uma completa ausência de vontade para introduzir novos impulsos democráticos. Uma absoluta falta de apetência para renovar ideologias.

4- Os partidos do leque do poder evoluíram para o “centro do centro”. O centro inamovível, qual Motor Imóvel de Aristóteles. O centro quer chamar-se esquerda; a direita quer chamar-se centro; ninguém se quer chamar direita. Em Portugal o PS, o PSD e o CDS, todos querem estar no “centro”. Este é o território propício a todas as renúncias ideológicas. Tudo em nome dos superiores interesses da nação. A democracia requer luta entre forças políticas. Hoje a democracia estagnou. Os partidos socialistas e sociais-democratas identificam-se exclusivamente com a classe média. Deixaram de representar as classes populares. Vêem estas como um arcaísmo a ignorar, ou mesmo a combater. Os cidadãos sentem-se excluídos da democracia. Sentem-se desprotegidos. E estão. A soberania popular é considerada obsoleta. Os partidos não querem a participação popular, porque não se querem renovar. Estamos condenados a ser dirigidos por oligarquias partidárias que há muito se esqueceram onde está o povo. Essas oligarquias limitam-se a um arremedo canhestro de debate político, para consumo exclusivo dos comentadores de serviço, filhos e enteados que eles próprios puseram nas televisões e jornais. Estamos fodidos!

Jorge Pinheiro

sábado, 26 de março de 2011

Agora também na China....

VAI VIR CHARTERS DA CHINA

Olhar Direito hoje também disponivel em Chinês e brevemente com um departamento exclusivamente composto por chineses....

Para quem nos visitar da China há descontos na utilização da net, hoteis, restaurantes....

Mulheres XXXVII

Isabel Lucas

sexta-feira, 25 de março de 2011

Assembleia de Pinguins - Uma espécie de troca XXXX

(...)

- É aquilo que disse. Enquanto voltavamos para a Ilha, passamos por uma Orca, e estamos certos que era a Assassina, mas graças a deus não nos aconteceu nada, até porque a Morsa com os seus dentes assusta qualquer animal - concluiu Dioguim

- Não é possível? Mais um problema para nós!!!! Não chega o que estamos a passar com os Rocker e agora temos de aturar mais um perigo? Isto não se pode saber. É o fim dos penguzan e mais um argumento para que aqueles que querem sair daqui ...... Temos de evitar o pânico.

Luisim já não ouviu Dioguim a se referir à presença da Assassina em águas próximas, tinha ido a correr para dar a boa nova à Morsa. Depois de muito andar, encontrou a morsa numa praia junto ao mar.

- Cara Antalya , o nosso lider tribal quer-te conhecer. Vieste na altura exacta, visto que estamos a dias de um conflito e necessitamos da tua preciosa ajuda .

- Uma guerra? conflito? então mas isto não era o sitio mais pacifico do Mundo? - perguntou a morsa.

- Bem......sabes...er é que temos tido uns problemazitos, mas nós não sabiamos porque isto só despolotou enquanto nós te encontrámos.....

- Cá para mim enganaste-me e só me querias para ajudar no conflito e depois mandavam-me de volta para a minha ilha - rosnou a Morsa ameaçando o pequeno Luisim.

- Nada disso! Não faziamos a minima ideia que estavámos em guerra! Nunca nos demos com os rocker mas sabemos perfeitamente que somos um tribo de pinguins completamente diferente da deles...

- Mas eu não vou vencê-los sozinho? e em relaçao à Baleia que vimos? porque lhe chamaram um nome?

- Ela conhecida pela nossa tribo. Comeu um dos nossos e chamou os amigos dela. Só que os narvais vieram em nosso auxilio mas ela acabou por escapar devido à nossa lentidão em decidir o que fazer com ela. A democracia também tem inconvenientes, muito tempo para votar......

- E o que estão a pensar fazer? ela está de volta? - perguntou Antalya...

- Bem eu não sei o que se fazer, quem decide isso é Zéguim, o nosso lider. Se nos protejeres, nós protejemos-te dos outros animais da ilha que te querem mal - assegurou Luisim.

- É uma troca portanto?

- Sim...mais ou menos isso! Mas vem, vamos falar com o nosso Mestre. Ele está ansioso por te conhecer. Nunca viu uma morsa na vida. Nem ele nem ninguém aqui....

E foram os dois para o centro da ilha

(continua dia 30....)

Defesa da Honra dos "errados"

A confusão em que o País hoje se encontra é gigantesca. 200 000 mil pessoas descem a Av. da Liberdade em Lisboa. Devem estar erradas. Os camionistas e cito “Se os nossos governantes são tão bons então que venham eles gerir as nossas empresas.”, portanto só podem estar errados. Os estudantes portugueses estão tão errados que nem sabem “escolher” um curso que garanta um futuro. Os professores também estão profundamente errados. Os profissionais liberais não sabem nada e também estão errados. Os idosos estão… Já todos percebemos.

Há alguns dias “conheci” um jovem analfabeto (totalmente errado) que frequentava o 8º Ano (é verdade), faltava às aulas para “limpar terras” e recebia um subsídio com o qual podia sobreviver… de facto a confusão em que o nosso País se encontra é enorme. Ainda assim este jovem a propósito do seu País afimou: “está mal” (uma frase tão simples que representa uma ideia tão grande).

Certa está a responsável por esta escola, certo está o responsável pelo seu subsídio. Certo está o nosso PM que continua a adiar a Governação de Portugal.

Certos estão todos os que não erram e insistem que o problema do País é culpa dos outros.

Certos estaremos todos nós quando concluirmos que para ultrapassar a confusão e a situação em que estamos, teremos de cortar na despesa. E a maior depesa do Estado Português é o seu (ainda) Governo. Agora estamos todos certos.

quinta-feira, 24 de março de 2011

A década dos Cobardes

De há 10 anos para cá temos assistido a uma autêntica fuga às responsabilidades por parte dos nossos governantes.
Senão vejamos : António Guterres depois de uma banhada eleitoral nas Autárquicas de 2001 decidiu abandonar o barco mesmo com maioria absoluta no Parlamento. Tudo aconteceu depois de na final do Masters Series de tenis o então Primeiro Ministro ter recebido uma enorme vaia.

Em pleno Euro 2004 e depois de uma derrota nas europeias do mesmo ano, Durão Barroso viajou para Bruxelas num momento muito dificil para o país. Muitos consideraram nobre o acto de Barroso mas a verdade é que a fuga para Bruxelas foi uma forma de fugir às responsabilidades do país. Também tinha um maioria parlamentar estável e um ano antes havia sido assobiado em plena inauguração do Estádio da Luz.

Em 2011 é Socrates que sai de cena, por enquanto. A versão falhada que sem PEC não iria continuar como PM porque era um sinal do não apoio do país relativamente à suas medidas. Ora, conhecendo Socrates só mesmo um anormal é que acredita que nada existe por detrás disto. Até porque segundo o próprio não é pessoa para virar a cara á luta.

Infelizmente o unico que se manteve no poder foi Pedro Santana Lopes, e foi necessário Sampaio correr com ele.

Com os exemplos da ultima década, temos tudo para temer o pior. É que está visto que nenhum governante consegue levar o seu mandato até ao fim, tenha ou não maioria relativa. Lembram.se de Cavaco? foi até ao fim. O Estado de graça dos PM´s dura muito pouco por culpa da contestação social que nos ultimos anos tem aumentado em Portugal. O facto de se cansarem rapidamente faz com que a sua motivação seja menor à medida que a governação vai endurecendo. Isto é uma atitude pouco credível, porque embora o país esteja em dificuldades quem foi eleito tem o dever de cumprir o seu compromisso com os portugueses. E não arranjar PEC´S,eleições ou bruxelas para fugir ás suas responsabilidades e entregar o pantano a outros.

Perante esta situação dificilmente os portugueses querem ir votar porque acham sempre que o PM não é credível. A crise politica não é de agora.

Parece que voltámos á I Republica em que havia governos e PM´s como automoveis na Rotunda do Marques.....

Figuras da Década ( 15) : Roger Federer

Roger Federer nasceu a 8 de Agosto de 1981 em Basileia. Pela primeira vez na história a Suiça viu nascer um grande tenista.

Escrevo esta biografia na semana em que o tenista suiço baixou para o 3º lugar do ranking mundial atp e anda muito longe de Rafa Nadal. Mas apesar disso, não deixa de ser um excelente profissional. Tanto na hora de perder mas sobretudo quando vence. Ainda tem um recorde para bater : o de ser o tenista com o maior numero de Grand Slams, talvez seja o unico objectivo que move Federer, porque Nadal vai muito à frente e Djokovic encontrou a sua cabeça e ameaça o primeiro lugar.

Federer tem 16 titulos do grand slam : 5 open da Australia, 6 em Wimbledon e mais cinco em Flushing Meadows. Em Roland Garros, que tem sido o seu calcanhar de aquilos apenas tem um titulo. Tem igualmente uma medalha de ouro nos jogos olimpicos de pequim. Tem um recorde impressionante : foi o unico tenista a vencer Wimbledon cinco vezes consecutivas. Bjorn Borg o detentor do antigo recorde esteve presente no dia do feito. Federer não se esqueceu dele. É de campeão! Venceu também o US Open cinco vezes consecutivas. Nunca conseguiu ganhar os 4 grand slams na mesma temporada.

Destronou Sampras e Bjorg como detentores dos maiores numeros de titulos em grands slams.

Disputou 22 finais do Grand Slam, perdeu 6.

é verdade, tem 67 titulos e perdeu 29 finais....

E para não me esquecer de nada, alcançou a liderança do Ranking ATP em 2004. Durante 237 semanas foi dono e senhor do numero 1. E com isso conseguiu mais um recorde. Nenhum outro tenista conseguiu tamanho feito.

Foi durante quatro anos consecutivos ( 2005-2008) considerado como o Desportista do ano pelo Laureaus.

Falar de Federer é falar de titulos.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Assembleia de Pinguins - Luisim Salvador XXXIX

(...)

Luisim e Dioguim entraram pela tenda do Mestre dentro com a fórmula mágica para enfrentar os problemas.

Reunidos com o lider tribal estavam os seus maiores amigos, bem como Franguim aquele que era considerado o homem mais á direita de todos os pinguins. Também se confirmava que se tratava de uma conspiração de esquerda.

- O que fazem aqui os dois? Andamos loucos á vossa procura......Onde têm estado metidos? - perguntou Zeguim

- Mestre, estivemos na Ilha Misteriosa e trouxemos uma personagem que nos pode ajudar a combater os Rocker sem ter que causar uma unica baixa nos Penguzan. Conhecemos um animal que vai mudar o curso da nossa história aqui - avisou de imediato Luisim.

- O quê? Um animal que nos pode salvar desta situação? mas vieste com quem? Com algum urso? - questionou Zéguim.

- ahaahah. melhor do que isso. Eu e dioguim ao espreitarmos a ilha misteriosa , contactámos com uma Morsa que foi expulsa da sua tribo mas também do meio social aqui da ilha. Estava fechada hà anos numa gruta e assim iria morrer isolada e completamente sozinha. Até que, aqui os herois chegaram e conseguiram que Antalya voltasse a viver. - discursou Luisim

Dioguim estava espantado com a astúcio do seu eterno amigo. Há uns anos Luisim era um garoto irresponsavel, hoje tornara-se um homem responsável. Tinha sido de facto graças à sua oratória que Antalya voltou a ver a luz do dia.

- Uma morsa??? mas onde foram descobrir este animal? nunca vi nada desse genero aqui por estes lados....

- Porque estava fechada. Segundo ela comeu um leão marinho sem querer. Fizeram-lhe um julgamento e decidiram que tinha de ficar fechada numa gruta até ao resto da sua vida.... e nós fomos lá resgatá-la porque o lugar dela é fora da gruta. E entre os Penguzan...

- E que faço eu com uma morsa Luisim? vou mandá-la para a outra ilha e começar a matar os Rocker? e depois não é ela novamente expulsa mas também nós.... - avisou Zéguim.

- Claro que sim! já a viste? É enormeeeeeeee, giganteeeeee, tem uns grandessss dentessssssss, pode matar qualquer animallllllllllll. Eu e Dioguim viemos em cima dela até cá. Foi bastante divertido.- Luisim estava entusiasmado.

- Que achas tu disto Dioguim? - perguntou Zeguim para o outro amigo.

Dioguim apenas encolheu os braços.

- Bem.... quero ver essa morsa. Tragam-ma cá mas sem que ela passe pela população. Senão vamos ter histerismo - pediu Zéguim.

- De acordo. vou buscá-la - assegurou Luisim.

- Mas há mais - finalmente Dioguim abriu a boca.

- Que há?

- A Assassina voltou....

- O quê?????

( continua dia 25....)

Socrates caiu...

Portugal está desde hoje sem governo e Primeiro Ministro. Depois do freeport, licenciatura, Face Oculta, Caso TVI, PEC I, II, III e Orçamento de Estado e com um PR de cor partidária diferente ; após 6 anos na governação Socrates vai cair.

No entanto, e apesar de estarmos em período eleitoral, o actual Primeiro-Ministro vai-se recandidatar. E ja no sabado será reeleito Secretário Geral do PS, pelo que isto não passa de uma estratégia para reforçar o poder que poderá ser eterno. Interessante como já está marcada a hora a que o PM vai a Belém apresentar a demissão ao PR.......Será que a recente eleição de Cavaco fez temer em Socrates um eventual castigo vindo de Belém e assim evitar uma humilhação?

Já nada é surpresa no mundo da política em que está tudo programado.

E estamos assim porque Bruxelas manda, Bruxelas quer e Merkel ordena!

O país está oficialmente em crise politica depois da gravíssima situação económica em que se encontra....

terça-feira, 22 de março de 2011

Uma Nação em crise

A história de Portugal tem sido desde a sua Fundação feita de crises, tal como toda e qualquer nação do Mundo. Desde a Implantação da Republica, que os vários governos têm sofrido enormes problemas e vivido em sobressalto. Antes da chegada do Estado Novo, não houve nenhum Primeiro Ministro que se aguentasse no cargo. Passado a ditadura, a revolução dos cravos trouxe um novo ar : mais democracia, mais liberdade mas acima de tudo confiança num sistema político estável. Foi por isso que Freitas do Amaral, Mário Soares e Francisco Sá Carneiro lutaram bravamente contra a ditadura primeiro e depois na tentativa de evitar um regime comunista em Portugal.

Depois de alguns anos conturbados, os anos Soares e o Cavaquistão trouxeram estabilidade e progresso económico. Foi assinado a adesão à UE e os investimentos publicos garantiram desenvolvimento. Com Guterres começámos bem mas umas eleições legislativas deitaram tudo a perder. O antigo primeiro ministro abandonou o barco a meio, tal como o seu sucessor que preferiu ir para Bruxelas. Santana Lopes foi o flop que se viu e depois calhou-nos um Sócrates. Não o filosófo mas um engenheiro mal diplomado.

Esta foi a história política do Século XX português. Os outros séculos não foram diferentes. Muita crise, muitos problemas para resolver. Foi a crise de 1385, as várias tentativas de Castela tomar o poder, as invasões francesas, a revolução liberal, as questões da sucessão, por tudo isto a nação sofreu e continuará a sofrer....

Amanhâ o país pode entrar numa nova crise política que é apenas relativa porque o sistema é sólido e não vamos entrar em guerra civil como está a acontecer na Líbia. O problema é a falta de credibilidade não das instituições; porque estas têm uma história imaculada, mas essencialmente porquem as ocupa. Se formos para eleições não há mal nenhum disso, mas que não seja mais um acto eleitoral para entreter as televisões e encher a blogosfera de posts. Que de uma vez por todas os agentes políticos falem verdade e apresentem ao país a verdade das contas mas essencialmente aquilo que pretendem fazer do nosso país.

As crises que atrás enunciei também têm a ver com aquilo que está a ser escrutinado. A falta de verdade de quem nos governa, a sua forma de fazer e estar na politica mas principalmente o rumo que temos obrigatoriamente de seguir. O chamado "atrasado cultural ou mental", é há anos um problema e não me venham dizer que a culpa é do PS ou do Cavaco. A nossa história tem sido pródiga em opções erradas, caminhos desviantes e escolhas que nos têm levado ao abismo. Poucos são aqueles que na nossa História se podem orgulhar de merecerem uma estátua......

Amanhâ na AR o que está em jogo não é o nosso futuro nos próximos dois ou três anos, é saber qual a nossa História daqui a 10, 15 anos.

Que não tenhamos de escrever mais uma crónica negativa na nossa longa história de bravura e coragem.....

Tema IV: Invasão da Líbia

És a FAVOR OU CONTRA uma intervenção militar na LÍBIA?

segunda-feira, 21 de março de 2011

Até que uma bala lhe acerte

A situação na Libia já não tem volta a dar.....
Vai haver guerra e da dura. Se já estamos na fase em que a capital está a ferro e fogo, então a ofensiva levada a cabo pelas forças da Coligação ( adoro esse nome de como um Messias viesse ....), tem como objectivo derrubar o regime de Kaddafi e não apenas criar uma zona de exclusão aérea em Benghazi. Até porque se esta cidade ficar nas mãos de rebeldes será uma plataforma para que estes reunam as tropas e tenham condições de marchar sobre Tripoli.

Como escrevi na sexta, a intenção dos EUA e restante comunidade internacional era bem mais do que salvar as pessoas. Agora que já estão tropas no país não faz sentido nenhum que não haja nenhuma invasão. E como vão os Aliados ( outro nome pomposo...) justificar a invasão? Que Kaddafi é um perigo para a segurança mundial por ter respondido aos ataques e não ter cessado o fogo.

Esta é mais uma guerra que os norte-americanos compraram com a ajuda dos britânicos. Obama disse no seu discurso de tomada de posse que a via militar não era solução para resolver conflitos. Também prometeu que fechava Guantanamo.... Aposto que se Kadaffi for capturado será de imediato transportado para a prisão de Cuba...

Kaddafi, o ditador que controla a Libia desde 1969 resistirá até que uma bala lhe acerte no peito. Fotografias como aquela e pedidos de uma tenda no forte de são julião da barra bem como de alguns camelos não se vão repetir por estas paragens

domingo, 20 de março de 2011

Coldplay - Violet Hill

Violet Hill dos Coldplay, um excelente videoclip com muita cora e movimento

Olhar a Semana - Eleições no Hemisfério Sul

O que todos previam vai acontecer : Portugal vai a eleições legislativas a dois anos do termo do mandato e quase meio ano após as eleições presidenciais. Todos estavam à espera do momento certo para que o PM atirasse a toalha ao chão....

Mas será mesmo assim?

Não é por não ter conseguido convencer os partidos a votar umas medidas impostas por Bruxelas que Socrates vai desistir. Se a situação para ele fosse muito má, nem sequer ia para o Parlamento discutir mais medidas de austeridade sabendo de antemão que estava a violar a confiança depositada pelo PSD aquando do acordo do ultimo Orçamento. Já nessa altura o discurso da vitimização quase resultou só faltavam poucos meses para as Presidenciais e os sociais.democratas não queriam um país sem PM nem PR......e muito menos sem Orçamento. Socrates ter saltado por cima de todos e ir devolver as medidas à Alemanha.

Ao provocar eleições antecipadas, estão reunidas todas as condições para uma campanha eleitoral que terá o soundbyte " a responsabilidade é dos outros.." . E todos sabemos como José sabe convencer o Zé Povinho. Até porque o PSD terá de dizer ao país a verdade : isto é, que virá mais austeridade mesmo com os sociais-democratas no poder. Porque se não o fizer, quando chegar ao poder poderá não ter o apoio popular e certamente começará mal. O problema é que os portugueses continuam divididos : Nem o PSD tinha maioria absoluta e mesmo com o CDS seria dificil governar à vontade. E Cavaco não quer de novo um governo de maioria relativa numa situação de crise económica. Perante tudo isto, de certo que recuaremos até aos primórdios da nossa democracia em que para combater o comunismo foi necessário as forças principais do nosso país se unirem num projecto político. Agora, para não deixar o país ficar ir à falência, o Presidente da Repbulica mediante os resultados eleitorais irá chamar a si os responsáveis politicos e propor uma coligação entre PS,PSD e provavelmente CDS. Se assim for a esquerda radical ficará com menos voz até porque é muito provável que obtenham resultados insignificantes nas próximas eleições. Até porque um governo de bloco central duraria até o fim do termo do mandato de Cavaco Silva e as medidas para ultrapassar as dificuldades não vão variar consoante a cor partidária.

Parece que o nosso país está mais voltado para Direita e isso é consequência do completo falhança das politicas socialistas nos ultimos anos : corrupção, despesismo publico e muito tachismo. Não é que do lado laranja não haja, mas assumem de frente que querem entregar o país aos privados.

Para além da vitória de Coelho, um outro cenário é a vitória de Socrates. Com ou sem maioria absoluta, se o actual PM vencer então é porque não há nada que o derrote. Convém lembrar que Passos Coelho nem um ano tem à frente do PSD e que tem ainda muito para caminhar, mas é bom lembrar que até hoje cumpriu sempre com a sua palavra. Socrates pode muito bem aproveitar a inexperiência de Passos Coelho que se estreia nestas lides.

Vêm aí dias de agitação e quarta feira pode ou não ser o fim de Socrates. Uma coisa é certa : o país está cada vez mais instável, sem rumo social, politico ou económico. A culpa é de todos certamente mas é estranho num país com 34 anos de democracia não ver todos os partidos parlamentares sentados à mesa com o PR a servir de moderador e a procurarem uma solução cabal para os problemas do país, independentemente das questões ideológicas.

É que qualquer dia aparece um tipo vindo do nada com um discurso unificador e pega nisto com toda a facilidade.

Esse será o dia da mudança.....

sábado, 19 de março de 2011

Palpites XIX

Achas que a Coreia do Norte vai invadir a Coreia do Sul?

SIM 33% 3votos

NAO 66% 6 votos

T

sexta-feira, 18 de março de 2011

Assembleia de Pinguins - A Solução XXXVIII

(....)

Luisim e Dioguim haviam ficado petrificados com o que se estava passar,embora já tenham visto aquilo milhares de vezes ( os penguzan eram um habitué em manifestações), aquela era uma situação completamente diferente. Os animos estavam mesmo exaltados e havia enormes sinais de destruição com algumas casas danificadas.

- O que se passou? Que se está a passar Carolim? Porquê tanta agitação? - perguntou um desorientado Luisim

- Por onde têm andado? Andam todos à vossa procura? Estamos em guerra Luisim. Fomos atacados pelos Rocker e agora ninguém quer ir para guerra. O mestre por ele vai, mas a maioria dos pinguins quer voltar para a Antártida, porque não estão na disposição de morrer.E também se não fizermos nada vamos de certeza ser dizimados. Os Conselheiros reuniram-se e todos achamos que vão pedir a substituição do Zéguim. O que seria inédito na nossa história mas a situação é incomportável - resumiu assim os acontecimentos Carolim.

- Bem que situação. Estou mesmo a ver que perdi imenso. Mas então para que nos queriam? - questionou Dioguim.

- Para irem à Ilha do lado e espiar o inimigo, para sabermos quando nos vão atacar. Ainda não nos disseram onde estiveram metidos neste tempo todo..hein seus malandros? - resmungou Carolim naquele seu estilo.

- Descobrimos algo grande. Muito grande. Temos de falar imediatamente com Zéguim porque temos novidades. A Assassina apareceu, por isso sair daqui não é a solução e a nossa amiga vai-nos ser muito util - confidenciou Luisim

- Amiga? mas que amiga? de que estás a falar? A Assassina voltou? nem digas isso alto porque é mais um motivo para a malta ficar assustada- replicou Carolim.

- Pois...mas acho que temos o problema resolvido. Onde está o lider?

- Na casinha do Mestre.

- Temos de ir para lá imediatamente Dioguim. A fórmula está encontrada.

E os dois amigos correram para a casa de Zéguim. Carolim ficou pasmada e seguiu para a manifestação.

Lukakim ia dizer de sua justiça...

- Não sou contra nem a favor. Tendo um lider eleito, não o podemos substituir e acho que neste momento dificil devemos estar todos juntos. Não foi isso que o mestre Minguim nos ensinou? Todos juntos na vida e na morte. É sempre o lema da nossa tribo e nunca o devemos abandonar. Apesar das dificuldades temos força para todos juntos sair desta por cima. É o que vamos fazer! - concluiu de forma contundente Lukakim.

Os outros dois conselheiros contra Zéguim ficaram fulos e sairam da casota a correr.

( continua dia 23 ....)

Fly Over or Attack Lybia?

O Conselho de Segurança da ONU aprovou uma zona de exclusão aérea sobre o espaço Libio para proteger as pessoas.
Isto foi o primeiro para que se dê uma invasão militar no país de Kaddafi. Via Estados Unidos da América ou NATO, mas para isso esta organização necessita do apoio da Turquia.....
Se as forças internacionais vão entrar em Tripoli, de lá já não sairão.
É certo que Gamal Kaddafi reaja e haja uma profunda divisão na sociedade libia sobre esta decisão, mas é certo que derrubar que estamos perante o Iraque da nova década.
Há sempre um que paga um preço mais elevado pelos seus disparates.
Kaddafi foi mais um deles....
Uma primeira importante vitória para David Cameron sobre Obama enquanto Primeiro-Ministro britânico, mas certamente vai ser necessário fazer uma cimeira como aquela que se realizou nas Lajes....
Socrates estará disponivel? Sempre podemos mandar para lá o Luis Amado....

quinta-feira, 17 de março de 2011

Só falam dela mas dela não gostam

Ontem teve inicio mais um ano judicial, marcado pelas incriveis declarações do Bastonário Marinho e Pinto sobre os juizes ao afirmar-se contra " a onda de vedetismo que assola a magistratura judicial".....
Perante palavras destas que dizer? Que fazer?
Mais uma vez ouvimos o PR, o Presidente do STJ e o Ministro da Justiça a apelarem a reformas, novas medidas para a justiça, alertar para o estado caótico em que esta se encontra, e que a Justiça é um dominios mais importantes da nossa sociedade.
Infelizmente, a cerimónia de abertura do ano judicial é apenas uma vez por ano, porque era importante que perante tantos discursos de cerimónias podia ser que de uma vez por todas os politicos olhassem para a justiça de forma séria. Não basta alertarem uma vez em 365 dias, quando nem na recente campanha presidencial foi tema de discussão. Quanto mais nas legislativas! Nunca é. O Estado da justiça só é lembrado nesta formalidade, e depois os agentes que todos os dias dão o litro para que ela funcione de forma correcta é que têm de pagar os erros politicos.

Segundo Cavaco Silva ele é “o primeiro dos inconformados com o estado actual da justiça portuguesa”e salientou que, “de um ponto de vista cultural, a Justiça necessita de credibilidade” e “para ser justa, exige eficácia e celeridade”.

Quantas vezes o PR já disse isto? E que medidas apresentou na recente campanha eleitoral? Nem uma! Nem sequer tocou no tema, substituindo-a por temas como o mar, jovens, etc etc.....

Alteração das leis, menos burocracia processual, mais defesa pelos direitos dos arguidos, uma protecção maior aos agentes e mais importante acabar com a troca de acusações entre os principais representantes da justiça, entre outras medidas......

Aqui estão algumas das propostas que os responsáveis poderiam aplicar ou pelo menos falar já que apenas se lembra dela uma vez por ano...

E se num país a Justiça não funciona, então que dizer do resto....

Olhar Direito - marca registada

A partir de hoje OLHAR DIREITO é uma marca registada já que foi publicada no Boletim de Propriedade Industrial : http://www.marcasepatentes.pt/files/collections/pt_PT/49/55/352/364/2011-03-15.pdf

Com este passo ( e com a realização das Conferências que estarão para breve....); pretendemos OLHAR DIREITO para além do blogue, mas também assegurar a protecção de uma marca reconhecida pela sua qualidade tanto em Portugal como no estrangeiro.

Há quase 4 anos iniciei este projecto sozinho, mas durante a caminhada percebi que só em equipa era possível expandir a marca mas sobretudo as ideias. Assim, reuni a melhor equipa possivel e com opiniões completamente diferentes da minha. Isso foi conseguido e a diversidade de pensamento é uma das marcas deste blogue. Recentemente chegámos ao Brasil e aos Estados Unidos para que os nossos post saíssem de Portugal. Isso foi conseguido e hoje é no país irmão que está a maior parte dos nossos leitores.

O nosso próximo objectivo é realizar uma série de conferências. Estamos a trabalhar há algum tempo nisso e foi por isso que era necessário salvaguardar a marca. Também queremos tornar a leitura dos posts mais atractivos não apenas estando na página principal o artigo mais recente. Para aumentar a discussão de todos os temas.

O céu é o limite e aqui todos pensamos em grande...

Mas o nosso compromisso é sempre em primeiro lugar com os Leitores!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Assembleia de Pinguins - a decisão dos 5 XXXVII

(....)

Os conselheiros reuniram-se de emergência e na mente deles estava uma eventual substituição do lider. Zéguim não foi convidado para a reunião. Estava como a multidão : confuso e sem saber o que fazer. Se por um lado não queria levar compatriotas seus para a guerra, por outro sabia que se ficassem por ali mais dia menos dia seriam invadidos pelos Rocker, não podendo ficar de braços cruzados. Se os Penguzan não fizessem nada de certo que seriam dizimados. Muitos consideravam que levar a tribo para uma guerra seria um suicidio, até porque em termos militares os novos habitantes das caçolas estavam em inferioridade numérica.

- Caros colegas, estamos perante uma situação bastante grave. Na minha opinião este lider não tem condições para continuar à frente da nossa tribo. É a primeira vez em 5000 anos de existência desta espécie que enfrentamos um conflito militar. Sempre vivemos em paz e pacificamente, nunca tivemos problemas de maior com outras comunidades de pinguins. A vinda para este local foi um enorme erro e há que corrigir. Não podemos viver como povos separados e se a maior parte dos pinguins sai da tribo, será o nosso fim. É preciso tomar uma atitude e já! - vociferou um dos Conselheiros de nome Halzim.

- Meu amigo. Não penso que a solução passe por a substituição do lider. Zéguim tem sido forte e lutado contra os poderes instalados.Há muito que não se via tantos pinguins satisfeitos com o seu habitat. Olhem para os jovens que finalmente pode surfar nestas belas ondas? E as mães que passeiam com os seus filhos sem terem de se preocupar com Ursos ou baleias. E muito menos com o frio....Apesar da guerra iminente acho que deviamos continuar nesta ilha paradisiaca. Além de que temos possibilidade de fazer amizades com outras espécies, para além de encontrar formas de negócio - discordou Maluzim.

- A minha sensação é que aqui existe muita instabilidade. Nós não conseguimos estar parados nem em paz. Já tivemos enormes problemas e a morte de um dos nossos foi a gota de água. Eu não quero ir para a guerra, por isso voto em sair daqui. - Comentou Dalailim

- Eu acho que nunca e em situação alguma se deve substituir o lider tribal. Este só deve ter sucessor após a sua morte, e quando estamos com problemas devemos estar todos unidos e enfrentar os problemas conjuntamente. Na minha opinião, a guerra deve ser enfrentada pela comunidade e morrermos como verdadeiros penguzan para que as gerações mais novas possam olhar para nós como exemplos. Não devemos pensar apenas em nós, mas construir o futuro desta comunidade. Estou com Zéguim até à ultima gota de sangue - proferiu Bazaldim...

Estavam empatados e só faltava a opinião de Lukakim que seria determinante, embora as decisões dos Conselheiros não fossem vinculativas e a substituição de Zéguim não seria um tema pacifico....

Luisim e Dioguim aproximavam-se rapidamente da Ilha Minguim quando repararam que algo estava errado:

- Porque se reunem todos? Que agitação é aquela? - perguntou Luisim.

- O que perdemos? - replicou Dioguim

( continua dia 18 .....)

terça-feira, 15 de março de 2011

José, o politico hábil

" Obviamente vou recandidatar-me".
Jose Socrates é um politico hábil. Já o dissemos várias vezes aqui, ele consegue transformar os problemas numa solução daí que tenha aguentado a todos os escandalos e austeridade.
Já não é novo, mas Socrates é muito bom a imputar responsabilidades a outros, pelo que se o PEC não passar na AR, o tema forte da campanha recairá numa vitimização do PM.
Assim, a bola está do lado da oposição mais uma vez. Com o PSD fora de jogo, CDS e os dois partidos da esquerda são os unicos disponiveis. Tendo em conta que todos os partidos vão apresentar alternativas é muito possível que se chegue a um acordo. E mais uma vez Socrates vencerá, o que poderá colocar o PSD numa situação dificil. Caso contrário, se o PEC não passar, o principal alvo do PM será obviamente Passos Coelho.
Numa excelente entrevista em que Ana Lourenço quase "pedia" a demissão do PM, Socrates terminou em grande quando foi anunciado o acordo entre governo e os camionistas : mais uma para José encher o papo.
As palavras sábias "o interesse nacional" e " eu compreendo perfeitamente", fazem qualquer pessoa menos atenta colocar a cruzinha no lider do PS.

os movimentos civicos...

Ontem à noite surgiu um movimento na blogosfera que visa a demissão do Primeiro Ministro José Socrates. Isto surgiu após o PM ter dito em plena conferencia de imprensa que as medidas de austeridade tinham de ser feito, e que em nada violava o acordo estabelecido com o PSD.

Depois da Geração à Rasca, está a nascer o movimento Já Basta, que também começou no facebook e é composto por jovens desiludidos com este Primeiro-Ministro. Onde é que eu já vi isto? Tunisia, Egipto......... Alguns jovens foram para a porta da Assembleia da Republica, mas é esperado que o Marquês de Pombal encha nas próximas semanas.

É de salutar a criação de movimentos cívicos. E isto só mostra a importância da blogosfera no panorama politica nacional. A palavra passa num instante e vão-se criando grupos...... são as novas manifestações.

Vamos ver o que isto dá, mas tendo em conta a perseverança dos portugueses acho que é um caso sério, até porque a comunicação social tradicional dá cada vez mais importancia aquilo que nasce na net...

Nota Editorial

Olhar Direito como sempre mantêm a independência a que os leitores sempre estiveram habituados, daí que não apoie ou seja contra o Primeiro-Ministro. As opiniões expressas serão da total responsabilidade de quem as efectua, neste ou em qualquer outro assunto. Pelo que, este post não cola o blogue nem qualquer dos seus colaboradores ao novissimo movimento "Já Basta"

segunda-feira, 14 de março de 2011

8.3 - D.João II e o Tratado de Tordesilhas

O Tratado de Tordesilhas
Foi no reinado de D.João II que se deu o apogeu dos descobrimentos. É ele que, ainda príncipe fica responsável pela pasta da India e também encarrega Duarte Pacheco Pereira para explorar ainda mais o Atlântico Sul.
Com o Rei, Diogo Cão e Bartolomeu Dias são lançados aos mares para prosseguirem o objectivo de conquistar mais terras, nomeadamente o Brasil. Perante tanta ousadia não é de estranhar que D.João II também seja conhecido pelo venturoso mas havia quem lhe chamasse o Principe Perfeito. Curioso é o facto de não ter colhido os frutos da sua campanha já que foi no reinado seguinte que Portugal atingiu o apogeu dos descobrimentos. Mas já lá vamos.

Não só de vitórias viveu D.João II. A nobreza por exemplo odiava o rei ao ponto de lhe dar o cognome de tirano. Foi também no seu reinado que Cristovão Colombo um mercador genovês apresentou um plano para a descoberta da América do Norte. O Rei não quis saber porque só tinha olhos para a África e o Oriente e rejeitou o plano. Colombo foi então bater à porta dos espanhois que se lançaram nesta aventura provocando uma enorme divisão dos oceanos que originou o Tratado de Tordesilhas.

Que não tenhamos dúvidas, D.João II foi dos monarcas mais importantes da história de Portugal. Sem ele, os descobrimentos não atingiriam grandes proporções e a economica portuguesa estaria de rastos. Sem medo de arriscar foi à América do Sul e ao Sul de África. Outros ficariam com o ónus de chegar à India, mas naquela época era em África que se encontravam os grandes materiais. Também foi neste continente que se iniciou o processo de cristianização. O Principe Perfeito morreu a 25 de Outubro de 1495. Conta a lenda que Isabel recebeu a notícia da morte do seu primo desta forma : "morreu o homem".

O Tratado de Tordesilhas

No dia 7 Junho de 1494 os Reinos de Portugal e de Espanha assinaram um tratado no qual estabeleciam a divisão das terras descobertas e por descobrir. Tudo porque com a rejeição do rei português, Cristovao Colombo se lançou sob a égide da bandeira espanhola. Este tratado surgiu para evitar que outros países que de certo se lançariam aos mares ocupassem territórios e assim Portugueses e espanhois seriam os novos donos do mundo.

A linha de demarcação era o meridiano 370 léguas a oeste da ilha de Santo Antao no arquipelago de Cabo Verde. Esta linha estava situada entre estas ilhas e as ilhas descobertas por Colombo nas Caraibas. Os territórios a leste deste meridiano pertenceriam a Portugal, a Oeste eram de Espanha.

Porém, para se chegar a este acordo foi necessário fazer várias cedências. E como qualquer negociação entre espanhois e portugueses, esta não foi uma divisão fácil, daí que tenha sido necessário a intervenção do Papa para que os dois Reinos se entendessem. Portugal ficou a linha oriental e preservou as suas conquistas de África permitindo-lhe navegar mais para Oriente. Já Espanha e Colombo ficaram contentes com a sua América. Contudo os espanhois não ficaram agradados e junto do Papa Alexandre VI exerceram pressão para que as linhas fossem alterados.

D.Joao II não aceitou os termos do acordo e quis reunir-se com os reis Católicos Fernando II e Isabel I para discutir a divisão. O local escolhido foi Tordesillas nascendo então a divisão referida anteriormente. O Papa Julio II ratificou o tratado em 1506. Foi efectivamente, um Tratado melhor para Portugal do que para Espanha.

De referir ainda que em 1524, nasceu um novo problema. A questão das Molucas que foi resolvida mediante o Tratado de Saragoça assinado em 22 de Abril de 1529.

Apesar de tantas alterações e problemas, Portugal ficou com a parte mais importante dos mares. A isso se deve a astúcia, perseverança e coragem de D.João II

( continua dia 28...)

Ras Lanuf

Depois dos acontecimentos no nosso país, voltamos à Libia que neste momento continua a viver uma guerra civil.

Ao contrário da Tunisia e do Egipto, a revolução naquele país não está a ser pacifico nem muito menos as pessoas estão reunidas na praça da liberdade lá do sitio para exigirem a demissão de Kaddaffi. Muito menos este está em vias de cair. A revolução tem sido feita pelas armas e um processo que já pareceu quase desfavorável ao ditador, parece agora que retomou a normalidade.

O Coronel outrora um amigo do Ocidente por causa do petróleo é hoje um alvo a abater.

O que os rebeldes pretendem é a implementação de um novo regime que será provavelmente tão pouco ou menos democrático que o actual. Neste caso, estamos a assistir a uma guerra entre facções e etnias diferentes. Ao aproveitar a onda de revoltas no magrebe, os revoltosos que estavam domesticados regressaram com a sua bandeira. Daí que seja pouco compreensível o apoio da comunidade internacional a esta revolta, já que não estamos perante uma revolução pacifica. Kadaffi há muito que perdeu a legitimidade, mas a revolta pela via das armas também não é a solução. E não é por acaso que a batalha se faz nas cidades petroliferas como Ras Lanuf.

Assim, Kadaffi vai ganhando a todos : aos rebeldes, aos manifestantes e à comunidade internacional que pela voz de Luis Amado exige que o ditador caia enquanto este vai recuperando cidades. Mais uma vez os nossos governantes estiveram mal, concluindo assim uma semana em que tudo lhes foi desfavorável, até no plano externo.

Quem perde com tudo isto são os libios que não têm culpa nenhuma.

domingo, 13 de março de 2011

UE : União Europeia à Rasca XIII

Esta semana colocámos alguns artigos sobre a denominada "Geração à Rasca" a proposito da manifestação de ontem. Nem sequer os Pinguins sobrevivem à crise instalada no nosso país. Também no final da semana, o governo Socrates aumentou ainda mais a austeridade que há muito asfixia os portugueses. No mesmo dia, o Conselho Europeu reunia-se em Bruxelas e aplaudia as "medidas corajosas" adoptadas por Portugal. Durão Barroso foi o porta-voz da satisfação.

Ora, se Portugal está à rasca, então a União Europeia está completamente de mãos atadas. O sonho de Winston Churchill de construir uns Estados Unidos da Europa está prestes a terminar. Aquilo que há mais de 50 anos começou por ser uma resposta á II Guerra Mundial e depois se foi desenvolvendo como uma união dos países europeus para combater nos vários campos os Estados Unidos está a se desmoronar.

Apesar dos inumeros tratados, da moeda unica, do tratado de schengen, da tentativa de democratizar a Europa através de eleições para um Parlamento inutil, o sonho de Robert Schumann está em causa. Até mesmo as adesões ao clube podem ficar em risco caso os comportamentos dos alemães continuem a ser de autoritarismo. Pelos vistos, a figura de Durão Barroso não é nada favorável a Portugal até porque ele é o primeiro a aplaudir as medidas ridiculas que estão ser implementadas à força no nosso país. Também gostava de saber porque razão existe o Parlamento Europeu; essa casa da democracia europeia; se estas medidas nem sequer são discutidos e votadas em Estrasburgo. É que para haver maior legitimidade, os representantes eleitos pelos cidadãos europeus deveriam votar medidas que dizem respeito à consolidação orçamental e não ser a Sra Merkel a impor tudo isto só porque na sua constituição está escrito que o deficit alemão não deve ser ultrapassado em X.

E o senhor Von Rompuy e Catherine Ashton servem para que? Apenas para falarem em questões como a Libia, Egipto etc.......

Pior de tudo isto, é ficarmos a saber que o Tratado de Lisboa não serviu para nada e todo aquele acontecimento em 2007 apenas foi uma fachada. Hoje a Europa é a Alemanha, porque os Espanhois e Franceses perderam a força de outrora e os ingleses continuam metidos na sua ilhota pensando na libra e no protestantismo.....

Era bom que países como Portugal, Irlanda, Grécia, Bélgica e também a Espanha começassem a criar uma voz no seio da comunidade para reestabelecer a ordem democrática, sob pena de a língua oficial da UE ser o alemão.

Com tudo isto, a Europa já foi há muito ultrapassada pela China em termos económicos e de certo que vai continuar a descer, até porque Obama já nem sequer se preocupa com o Velho Continente mas apenas com o seu novo amigo Medvedev. Também são sinais dos tempos, a força política da União Europeia está há muito perdida. A económica nem se fala....... vamos ficar para trás de certeza, e os protestos de ontem são um reflexo daquilo que se passa no nosso Continente. Enquanto asiáticos, americanos e russos produzem nós andamos na rua.....

Soluções? Não era mau visto encetar negociações com vista à Russia ser membro da UE, mas isso é um cenário muito dificil de se concretizar. Com tudo o que foi dito, o Federalismo até poderá ser uma boa solução, mas nesse caso teriamos uma Federação bem mais forte do que as outras......

Perante este cenário, o nome de Velho Continente nunca fez tão sentido como agora....

A Europa já perdeu....

e dificilmente vai recuperar...

sábado, 12 de março de 2011

GERAÇÕES À RASCA


1 – Hoje, 12 de Março, vai realizar-se uma grandiosa manifestação da “Geração à Rasca”. O nome é bom. Tem todos os ingredientes para passar bem na televisão. Tem hino e tudo. A manifestação, porém, está votada ao fracasso.
Primeiro, porque foi de tal forma anunciada e com tanta antecedência que “queimou” a surpresa. Eclipsou o impacto. Sobre ela já tudo foi dito. Escalpelizado. Esgotado. A manifestação acabou antes de começar. Amanhã é um mero ritual. Uma missa.
Em segundo lugar, as adesões foram tantas que a “manif” é um verdadeiro “albergue espanhol”. Partidos políticos; jornais; comentadores; cineastas; actores; intelectuais de todos os quadrantes… enfim, toda a gente “bem pensante” aderiu, comentou, falou, disse, exagerou, esgotou. Toda a gente quer estar presente, toda gente quer protestar, todos são contra, ninguém sabe o que quer.
Em terceiro lugar, o Senhor Presidente da República, decidiu também aderir. No discurso de tomada de posse resolveu apelar ao “sobressalto cívico”, colocando-se assim à cabeça da Geração Rasca e institucionalizando, definitivamente, a acção.
Finalmente, o fracasso é óbvio porque, na situação actual do país, nada há a fazer, em termos de política de curto prazo. Quem está verdadeiramente à rasca é toda a Europa.

2 – Mas a “manif”, para além de ineficaz, está completamente dominada. Como todos sabemos (ou devíamos saber), a melhor forma de neutralizar um movimento ou uma manifestação é enquadrá-lo politicamente. Vem nos livros. As inúmeras adesões a que assistimos, institucionalizam o movimento. Esta é a forma que as democracias e os regimes têm de integrar as explosões cívicas. Há mesmo regimes que promovem, eles próprios, “manifs”, para servir de válvulas de escape, devidamente controladas. No caso da Geração à Rasca, podemos também, culpar o Facebook que, ao promover uma ampla publicidade, retirou qualquer elemento de surpresa ou de raiva à manifestação. Os jovens, os intelectuais, os políticos, os blogues, esgotaram-se em comentários on-line, muito antes do evento. Fica registado, mas dá em nada. A democracia ainda não é on-line.
Penso, mesmo, que o Governo estará muito contente com esta manifestação e só não adere formalmente, por manifesto pudor. Mas estará sobejamente representado pela Juventude Socialista, de forma a poder invocar a transversalidade do movimento. Ainda haveremos de ouvir Sócrates a afirmar que só não foi porque estava em Bruxelas.

3 – Por último, penso que os promotores (que ninguém sabe quem são) estão completamente equivocados. Por muita simpatia que me mereça a geração jovem, acho que as gerações seguintes estão muito mais à rasca. Se não vejamos.
A geração dos 35/50 anos tem filhos pequenos. Colégios, creches e alimentação para pagar. Encargos sociais. Prestações de todo o tipo. Uma casa à beira da hipoteca. Seguros. Impostos para todos os gostos. Um emprego em risco de insolvência. Cuidados de saúde cada vez mais caros. Ordenados a baixar. Em muitos casos, apoio aos pais ou avós, mais carenciados.
Pior é, ainda, a geração dos 60/70/80. Toda a vida fizeram descontos. Agora têm reformas de merda. Ainda lhes ameaçam cortar mais 10% até 2013. Os cuidados de saúde estão cada vez mais precários. A idade a avança. Filas no Centro de Saúde. Medicamentos cada vez mais caros. Ninguém lhes dá trabalho. Nem precário, nem recibo verde… a ponta de um corno. Não têm cursos, nem mestrados. São inúteis. Párias sociais. As novas tecnologias a atrapalhar. Não têm onde cair mortos. Em breve, nem o subsídio de funeral terão.

4 – A manifestação de hoje vai ser uma grande curtição. Charros e cervejolas. Música de pacotilha. Muita auto-comiseração. Bloco de Esquerda a rodos e Partido Comunista a martelo. Intelectuais do costume, dando entrevistas nos noticiários habituais. Comentários semanais. Idiotas mentais. Todos voltam para a casinha dos paizinhos, muito contentinhos e a crise gasta-se em juros de mora, na esperança dos amanhãs que cantam. Terão razão. Mas quem está muito à rasca não são eles.

Para quando uma manifestação de acamados, devidamente entubados pedindo pão por Deus?

Jorge Pinheiro


Quantos Passos faltam?

PSD não estará ao lado do governo se continuar com estas medidas de austeridade e terá que encontrar novos parceiros....

A quantos Passos estaremos de novas eleições?

sexta-feira, 11 de março de 2011

Portugal à Rasca

Portugal bateu no fundo. Mais medidas de austeridade, agora com aumento do IVA em alguns produtos, e cortes nas pensões.

Hoje foi o fim! Moção de censura já, porque deixei de acreditar

Assembleia de Pinguins - Pinguins à Rasca XXXVI

(...)

A viagem estava a ser magnifica e os dois amigos mantinham-se à superficie para apreciarem a paisagem.....

Enquanto faziam a ligação, uma sombra enorme passou ao lado deles. Era um animal grande preto e com manchas brancas.

- É a Assassina!!!! - gritou de imediato Dioguim.

-Ela Voltou!!!!, temos de avisar rapidamente os nossos amigos pois agora todos corremos um grande perigo. - replicou Luisim.

- Quem é a Assassina? De onde a conhecem? - perguntou a morsa curiosa.

- Ela esteve connosco aquando do aquecimento global e depois um nosso companheiro deu a morada da nossa nova casa e mais tarde ela apareceu com os seus irmãos para nos matarem. O Pinguim malhado foi expulso da comunidade por ter avisado-a. Só que como não decidimos o destino que ela teria a tempo, os narvais deixaram-na à solta e agora ela vem jantar para estes lados.

Enquanto decorreu este episódio, na Ilha Minguim o caos era total. Os Penguzan estavam à rasca : havia pouco que fazer na ilha, os perigos eram constantes, os mais novos não tinham trabalho e passavam o dia a todo a surfar, e havia quem pensassse o suicidio por estar debilitado emocionalmente. Entre os presentes havia a convicção que era necessário organizar uma grande manifestação em razão destes factores mas também para que voltassem todos para a Antártida. Uma cisão na sociedade não era viável e todos tinham de rumar para o mesmo lado. A Esquerda queria uma nova Assembleia para que fosse votada uma proposta de mudança de habitat, e havia a noção que desta vez essa possibilidade era cada vez mais real. Sentiam que a maioria dos Penguzan estavam com eles.

Zéguim, alguns membros da Direita e os Conselheiros estavam preocupados porque sentiam a sociedade a exigir melhores condições de vida. E era na Antártida que lá se encontravam a maioria das oportunidades porque eram poucas as espécies que lá habitavam. Nas Caçola não, o espaço teria de ser partilhado por outras comunidades de animais, inclusive outra espécie de pinguins.

Por tudo isto, muitos não queriam lutar contra os Rocker, e isso seria mais uma forma para que os Penguzan voltassem ao gelo.

- Não há necessidade de perder vidas só por causa de um pedaço de terra. Se voltarmos para a Antártida temos o nosso espaço e ninguém nos chateia. O nosso lider tribal está a levar-nos para um beco sem saída e muitos penguzan vão morrer. E depois quem paga a factura? Serão milhares as familias que ficarão destruidas e a maioria dos jovens vai deixar de poder surfar....... - atirou Fernandim

De imediato se levantou um coro enorme de assobios e apupos para o Grande Lider. Zéguim estava encurralado e sabia disso perfeitamente.

- Temos de nos reunir urgentemente - disse um dos Conselheiros ao outro.

- Concordo.....

( continua dia 16 Março)

12 de Março de 2011

Estou onde quero estar. Onde pertenço. E eu pertenço ao futuro do meu país, pertenço ao dia 12. E já tenho saudades de estar num sítio onde ainda não estive, tenho saudades do nosso amanhã.

Não é só o dia dos jovens é sobretudo o dia dos que não querem passar mais um dia a adiar…o próprio dia.

Não é apenas o dia contra os recibos verdes, contra os 500€, contra o estágio não remunerado. É o dia em que nós afirmamos a nossa determinação numa solução para o País.

É o dia em que somos todos do mesmo partido político, não um com assento na A.R. mas sim com assento no País!

Apenas queremos que o país acorde e perceba que “isto está mal e vai continuar”.

E quão injusto será um país com igualdade de oportunidades, com melhor educação, com melhor ensino profissional e superior, com um sistema judicial digno? E um país sem corrupção, sem administradores que ganham fortunas, sem mentiras da classe política? Existem neste país administradores de empresas públicas (com prejuízo) que ganham mais por mês só para abastecer o seu automóvel (também pago pela empresa) do que a maioria da minha geração ganha para viver. Se tudo isto mudasse o país era assim tão injusto? E não seria melhor para todos?

E o mundo não é assim tão parvo. O mundo está apensa refém de uma cambada de parvos que têm medo do dia 12.

 

quinta-feira, 10 de março de 2011

Military Trials In Guantanamo

Ten years ago, the United States was attacked by terrorists in a way that shocked the world and in a way that changed the way our lawmakers thought about things like national security and civil rights. Yesterday, President Obama demonstrated the permanence of that change.

When he was running for President, Obama campaigned on the promise that he would close the military prison at the U.S. naval base in Guantanamo Bay, Cuba, and give all of the prisoners in that prison fair trials in regular courts. As a Senator, Obama was particularly critical of President Bush's decision to detain some of these prisoners indefinitely and without charging them with anything, and to give the other prisoners trials only before military courts. But yesterday, President Obama adopted (with very minor changes) the same policy that Bush adopted before him. Some, but not all, of the prisoners still in Guantanamo Bay will be tried before military courts, in trials that will take place on the naval base in our tiny, rented corner of Cuba. Others -- most -- of the prisoners will simply continue to be held, without charges, without access to lawyers, without any hope of ever being released.

It's easy to be upset at this, but let's also remember that these are likely really, really bad guys. When we talk about prisoners in Guantanamo Bay, we're not talking about pickpockets, prostitutes, or people who rob liquor stores. We're talking about guys like Khalid Sheik Mohammed, the guy who readily admits that he masterminded the 9/11 attacks because he's proud of what he accomplished that day. We've no reason to feel particularly sorry for these people.

They are something of a problem, too. When the government says that we can't let these people go, it's probably right. No one else wants them. It appears that we've applied to their home countries to ask if they can be repatriated and kept in prisons back where they come from, and have found that either they have committed no crimes in those nations or that the prisons of those nations do not want or are unable to receive them with adequate security measures -- with the result that when they are repatriated, they are simply set free, and then they turn around and start doing terrorist things again. So the U.S. has to consider that we took these people prisoner, and that means we took responsibility for dealing with them.

Why not go ahead and give them trials in our court system? At this point, we have inherited policies from the Bush Administration, and Bush either allowed or maybe even authorized the use of "interrogation techniques" on these prisoners which many members of the international community -- and many members of the American legal community -- have described as "torture." To our great national shame, in the 2008 election there was a debate about whether we should use torture in some circumstances and a great many Americans answered that question by saying that they liked the idea of using torture to interrogate prisoners in some circumstances. Again, all I can do is apologize for my countrymen and ask that the rest of the world consider that these people simply didn't think what they were saying all the way through, and were reacting emotionally to the attacks we suffered.

But the result is that the bulk of the evidence obtained against most of these prisoners was obtained with the assistance of "interrogation techniques" that count as torture, and our courts will not stand for that and do not allow the use of that evidence in the trials. We attempted a regular civilian trial against a man named Ghalani, against whom there was a mountain of evidence that he had been one of the key players in the Kenya and Tanzania embassy bombings, killing dozens of American diplomats and their families, and hundreds of Kenyan and Tanzanian citizens. Unfortunately, he was tortured in the process of extracting this evidence, so nearly all of it was thrown out of court. The result was that of 286 criminal counts against him, he was acquitted of 285. He was given a life sentence for the single remaining charge of conspiracy to plant a bomb in the Kenyan bombing, but this result is nevertheless very upsetting.

Even more humiliating, President Obama announced before the trial even started that the result of the trial did not matter -- he would not authorize the release of Ghalani even if he had been acquitted of all 286 counts. I asked at the time, why bother to have a trial at all then, because a show trial is worse than no trial at all. Show trials are what Stalin did to his political enemies, and are contradictory to the notion of the rule of law. But, this is what Obama did and once again, it was not particularly controversial over here. It should have been.

Unfortunately, the best answer anyone has been able to come up with for this dilemma is indefinite detention and military tribunals, instead of using the due process of law.

I have two concerns, one which is domestic and legal, and one which I would like to call to your attention here, my new friends from so many different parts of the globe. The domestic issue is that holding prisoners of any sort in this manner violates limits of power imposed on our government by the U.S. constitution, and which contradicts basic notions of fairness and due process of law -- a concept which transcends nationality.

We need not belabor that point here; suffice to say that this American lawyer finds the holding of prisoners in this manner to be a profound embarrassment. I believe that my nation can, should, and must do better than it has, even if it is difficult to do so. I further believe that it is possible to do this without creating a security risk and letting very dangerous people be free again. I've apologized for my country as best I can here.

Of somewhat more interest to me, though, is a sense of how the whole situation is perceived by our friends and allies around the world. I don't think that reading the BBC and other international news websites gives me a good reading of what real people, particularly lawyers, around world are thinking of this.

For a while, there was great outrage directed at the U.S. for what was happening in Guantanamo Bay. That outrage seems to have died down, particularly when President Obama took power. Now, though, Obama has basically re-adopted all of the policies that Bush had before him, and in fact if you look closely at his policies he has not even repudiated using torture on these prisoners.

So I'm wondering if there is the same level of outrage now, if there is some acceptance of the ambiguity of the total situation, or whether Barack Obama's very different personality and persona somehow makes the rest of the world more willing to overlook the U.S. doing essentially the same things that inspired so much anger at George Bush.

Geração à rasca? Talvez....

No próximo Sábado milhares de jovens vão sair à rua para exigirem ao Governo ( qualquer ele que seja...) melhores condições no seu trabalho.É um facto que hoje os jovens são sujeitos a milhares de situações para conseguirem arranjar um bom emprego, embora muitos deles não consigam entrar no mercado de trabalho. Se por um lado, é necessário trabalhar arduamente para se chegar a algum lado na vida, não é mentira que nem sempre a meritocracia é o factor mais importante numa promoção ou melhoria das condições de trabalho.

Mas vamos por partes:

O desemprego entre a juventude é hoje uma realidade inegável. Sempre o foi, mas nos dias que correm ter um canudo infelizmente não chega, dai que seja necessário a existência de politicas viradas para os jovens e para as suas preocupações. Não basta ter um Instituto Português de Juventude ou um Secretário de Estado que só liga ao Desporto, é necessário que o jovem ao entrar na Universidade já tenha uma perspectiva sobre aquilo que vai fazer. É imprescindivel que as empresas estejam junto das Universidades desde o primeiro momento.No entanto, aqueles que pelo seu esforço e mérito conseguiram um bom emprego têm condições de trabalho muito precárias. E porquê? Muitos ganham abaixo do salário minimo nacional e são sujeitos a horas extraordinárias de trabalho. Isso devia ser combatido, porque uma empresa que não pode pagar o minimo de 500 euros mensais a um estagiário não pode ser nunca ser competitiva. E é por isto que as pessoas também vão protestar no próximo Sábado.

É urgente uma modificação no estatuto dos estagiários porque são estes que têm a porta do desemprego ao virar da esquina. Em muitas profissões o papel do estagiário é de escravo e isso tem de ser forçosamente combatido sob pena de estarmos a criar uma sociedade de Davids e Golias. O pior de tudo são os recibos verdes e a falta de subsídio de desemprego que aqueles que trabalham no sector privado não gozam. E depois têm de se sujeitar a trabalhar em sitios que não gostam porque a economia não arranca.

Como se pode com isto tudo construir uma familia? ter uma casa própria? gerir os seus rendimentos? É impossível porque hoje até para comprarmos qualquer coisinha no supermercado temos de pagar 23% de IVA. Na minha opinião, e acho que a canção dos Deolinda é exagerada e fora do contexto, uma pessoa deve estudar e por essa via começar a ganhar a sua independência.

Foi assim com os nossos avós, pais e queremos que também suceda o mesmo com os filhos, mas para isso é necessário que haja alterações a nível das politicas de juventude, dos recibos verdes e também do subsidio de desemprego a quem trabalha no sector privado, sob pena de ficarmos sem trabalho porque o nosso patrão acordou mal disposto!Porque infelizmente, já nem justificação existe para este tipo de despedimento.

O primeiro passo deve ser estudar e trabalhar afincadamente para conseguirmos os nossos objectivos e não estarmos dependentes dos nossos pais, até porque estes não duram para sempre; mas há muito caminho para percorrer nos direitos laborais dos jovens.

Geração à rasca? Talvez.....

quarta-feira, 9 de março de 2011

Assembleia de Pinguins - Saltar do Barco XXXIV

(...)

Dioguim e Luisim iriam viver uma experiência magnifica e aquela viagem seria para ser contada aos filhos e netos. Nunca na vida haviam estado em cima de uma morsa, e o mais parecido foi andar à boleia de uma baleia branca.

Havia uma natural ansiedade e preocupação em Antalya. Não se sentia confortável pois não sabia que reacção iriam ter os seus vizinhos, mas estando em território pinguim não havia nada que lhe pudessem fazer. Mesmo assim, ainda não sabia como seria olhada pelos restantes Penguzan, mas como qualquer pinguim que se preze, de certeza que despertaria curiosidade. E qual seria o seu papel? Em primeiro lugar tinha de voltar à sua vida normal, e mais tarde aconselharia e purificava as almas que estivessem com sentimentos negativos. Mas essa era uma segunda parte da questão. A primeira tarefa era ser aceite novamente numa sociedade bastante egoísta, intolerante e que raramente perdoava. Os habitantes das Ilhas Caçola era assim, por isso existia o mito que sobreviveram ao aquecimento global pela sua teimosia.

-Um, dois, três, cá vamos nós - gritou um sorridente Luisim que acabara de cumprir um sonho de vida...

Entretanto, na Ilha Minguim, a tensão era muito alta. Fernandim, o lider da esquerda fez um discurso terrível contra Zéguim e os Conselheiros acusando-os de levarem os Penguzan para a morte. De criar falsas expectativas em relação à nova casa e que a mudança só trouxe enormes problemas....

Por outro lado, alguns defensores da Direita, chamavam cobarde e vira-casacas a Fernandim. Não era o caso do lider mais à direita que adoptava sempre uma postura séria e honesta. Era altura dos Penguzan estarem unidos e não existirem fracturas, só que para alguns o mais importante era o seu próprio corpo e não o colectivo.

(continua dia 11)

Abriu a época da caça ao Governo....

Cavaco Silva toma hoje posse para o segundo mandato como Presidente da Republica.
Nunca um PR terá um mandato tão complicado e dificil como aquele que Cavaco vai enfrentar de amanhâ até 2016.
O grande teste será mesmo 2011 por tudo aquilo que a nossa sociedade tem passado.
A crise internacional, a depressão em que o país se encontra, a entrada ou não do FMI, a contestação na rua, a confiança em Passos Coelho para assumir o cargo de PM......

Tudo isto são motivos suficientes para que Cavaco tenha uma magistratura de influência e não activa.

A partir de amanhâ , três são os cenários possíveis :

1- Cavaco aguenta o governo até 2013, correndo o risco de ter aturar o actual PM até 2016....

2- Cavaco demite o governo porque este recorre ao FEE ou ao FMI e assim assume o falhanço de estabilizar as contas publicas.

3- Cavaco terá forçosamente de dissolver a AR porque uma moção de censura é aprovada no parlamento.

4- E se Cavaco não gostar de Pedro Passos Coelho?

Uma coisa é certa, o BE vai dar inicio a um dos períodos mais conturbados da nossa democracia com a apresentação de uma moção de censura no dia 10 que será chumbada.

Mas a caça ao governo está aberta e Socrates é neste momento um alvo fácil....

terça-feira, 8 de março de 2011

Figuras da Década(14) : Mahmoud Ahmanidejad

Mahmoud Ahmanidejad nasceu a 28 de Outubro de 1956 em Garmsar e é actualmente o inimigo número do 1º da América depois de Usama Bin Laden ter sido o alvo preferencial de W.Bush após os atentados de 11 de Setembro . Para a administração Obama o maior perigo vem do Irão e do seu presidente que está a construir armas nucleares e quer destruir o Estado de Israel.

Chegou ao poder a 3 de Agosto de 2005 e nas eleições presidenciais de 2009 foi acusado de fraude eleitoral.

A construção de um armamento nuclear, as suas frases de ódio a Israel chegando mesmo a negar o holocausto e a manutenção de um regime repressivo que não permite a liberdade, são factores suficientes para considerar Ahmanidejad como um Bin Laden mas que actua por detrás de uma secretária e não nas montanhas do Afeganistão.

É uma ameaça à segurança mundial......

segunda-feira, 7 de março de 2011

Palhaço do Ano

Entrando no espírito carnavalesco desafiamos os nossos leitores a escolherem o Palhaço do ano.

Media e Politica : Que relação?

O papel dos jornalistas nas horas de grande tensão política é crucial. Fez agora 30 anos, quando um punhado de militares saudosos do franquismo invadiu o edifício do Parlamento, sequestrando os membros do Governo e os deputados que lá se encontravam, Espanha viveu longas horas sob o pesadelo do regresso à ditadura após cinco anos incompletos de sistema democrático. Nessa noite de 23 para 24 de Fevereiro de 1981, Madrid parecia uma cidade fantasma: só alguns bandos de arruaceiros de extrema-direita varriam as ruas vitoriando Tejero de Molina e os seus capangas da Guarda Civil que mantinham os políticos sob a mira das armas.

Nesses momentos dramáticos, em que tudo podia acontecer, dois jornais fizeram a diferença: o El País, de Juan Luis Cebrián, e o Diario 16, de Pedro J. Ramírez, lançaram edições especiais que já circulavam às 11 da noite. “Fracasa el golpe de Estado” – foi a manchete do Diario 16. “El País com la Constitución”, titulava o El País. Manchetes editorializadas, que exprimiam mais desejos do que certezas numa altura em que o rumo dos acontecimentos era ainda imprevisível, mas que à sua maneira também contribuíram para influenciar o desfecho da intentona extremista: vários agentes da Guarda Civil que tiveram acesso a essas edições – hoje históricas, por motivos óbvios – acabaram por abandonar o edifício do Parlamento, à revelia de Tejero, durante a madrugada: era o primeiro indício claro de que o golpe fracassaria.

Coube ao Rei Juan Carlos o papel mais decisivo ao surgir já cerca da 1.30 da manhã de 24 de Fevereiro em directo na televisão espanhola, com a sua farda de comandante supremo do exército, desautorizando os golpistas com estas palavras claras: “A Coroa, símbolo da permanência e da unidade da pátria, não pode tolerar de forma alguma acções de pessoas que pretendem interromper pela força o processo democrático que a Constituição, oportunamente votada pelo povo espanhol, determinou através de um referendo.”

Nós, na redacção, partilhávamos da inquietação que percorreu Espanha. A experiência da liberdade política iria acabar num novo fracasso? Mas tínhamos também uma impaciência particular e íntima: o que acontecerá quando os militares chegarem aqui?”, lembrava há dias, nas páginas do El Mundo, o jornalista Justino Sinova, à época director-adjunto do Diario 16, revivendo essas horas de enorme tensão num país onde permaneciam vivas as memórias da sangrenta guerra civil de 1936-39.

Nos momentos decisivos, o jornalismo fiel à sua verdadeira vocação não hesita: escolhe sempre a trincheira da liberdade.

Texto de Pedro Correia do blogue www.delitodeopiniao.blogs.sapo.pt e também Jornalista do DN

domingo, 6 de março de 2011

Pescadores

Pescadores na Alvorada
Fotografia de Sérgio Sombra

Olhar a Semana - Vassalagem Alemâ

Esta semana, José Socrates foi chamado a Berlim para se reunir com Merkel, a chanceler alemâ. Tudo para que a lider germânica desse nota 10 às medidas de austeridade que o PM está a realizar por apenas e sua obrigação. Não é o PM, mas os portugueses à custa dos impostos que estão a perder qualidade de vida.
Mas esta atitude alemâ tem muito que se lhe diga. Antes, o PM tinha de ir a Belém para justificar as suas opções, agora terá de viajar até Berlim para que a Sra Merkel esteja atenta a tudo. E quem paga a viagem? o contribuinte português que anda a poupar?

É uma vergonha países como Portugal, Espanha, Grécia e Irlanda terem de prestar as suas contas perante uma Alemanha cada vez mais poderosa dentro da União Europeia, e a sra Merkel não ocupa nenhum lugar de destaque nos orgãos comunitários. A viagem teria de ser feita a Bruxelas e não à Bundestag. Com 800 anos de história, como muito bem afirmou Socrates; Portugal não precisa de prestar vassalagem a ninguém.

A Europa atravessa uma grave crise de identidade com os seus orgãos comunitários a não serem capazes de resolver estes problemas. Então mas na presidência da Comissão Europeia não temos um português? para que serve então o sr Barroso?

É pena que a Inglaterra sempre longe dos problemas europeus porque estamos a entregar a nossa soberania a Berlim. Depois de Napoleão, dos Ingleses, dos Filipes chegou a altura dos Nicolaus alemães "conquistarem" Portugal. E as conquistas no século XXI são económicas.....

Sem duvida que estamos perante um grande dilema : ou aceitamos as exigências alemães porque é de lá que vem a massa, ou então estamos abandonados a nós próprios. Também não é menos verdade que temos culpas no cartório mas não era preciso fazermos figuras de parvos em solo germânico.

Perante isto, acho que não é mesmo preciso um Presidente da Republica, já que existe a Imperadora Merkel.

Share Button