quinta-feira, 11 de abril de 2019

Os candidatos precisam de esclarecer os cidadãos europeus sobre os efeitos do Brexit

A extensão do prazo para a saída do Reino Unido da União Europeia até 31 de Outubro permite que o tema seja motivo de discussão na campanha para as eleições.

Os problemas nacionais devem estar na agenda de cada candidato, mas existe a sensação que as questões europeias fazem parte do quotidiano. A recente aliança entre partidos nacionalistas que pretende colocar um ponto final na imigração prova que se tem de actuar do topo na implementação de uma medida. 

O Brexit não vai afectar só os britânicos, embora sejam os principais prejudicados nas relações com os países europeus. No entanto, haverá uma série de factores negativos que só o tempo vai ajudar a perceber, já que, é a primeira vez que um Estado-Membro abandona o clube europeu. 

Os projectos que se apresentam nas urnas precisam de oferecer uma solução em caso de não acordo entre os dois blocos para os eleitores estarem informados sobre mais um falhanço de entendimento entre as forças políticas no Reino Unido. 

Tendo em conta que também não se sabe muito bem o que vai acontecer caso haja um aperto de mãos entre os dois blocos, a campanha eleitoral é o timing perfeito para se esclarecer todas as dúvidas. 

As incertezas dos britânicos colocam mais problemas à forma de actuação dos responsáveis europeus que pretendiam a conclusão do dossier para esclarecerem os cidadãos sobre os verdadeiros efeitos da saída. 

Dois meses depois da data inicial já seria possível retirar algumas conclusões.

Sem comentários:

Share Button