quarta-feira, 25 de julho de 2018

Trump não tem o caminho livre nas primárias de 2020

As próximas eleições intercalares norte-americanas deverão confirmar a impopularidade do presidente norte-americano. A perda de controlo da Câmara dos Representantes pelos Republicanos vai originar uma movimentação dentro do partido contra Donald Trump.

O resultado das Midterms de Novembro coloca um novo desafio ao Chefe de Estado porque muitos membros das várias facções vão atirar as culpas para a liderança da Casa Branca, apesar de, nos últimos dois anos, a oposição republicana ter sido mais feroz do que os democratas em todos os palcos públicos.

As decisões tomadas, sobretudo no plano internacional, prejudicam mais os interesses do próprio partido, como se tem notado pelas reacções de muitas figuras. O reatamento das relações com a Rússia causou mais desagrado nos republicanos, que não gostaram de estarem associados a uma página negra da diplomacia norte-americana, sobretudo numa altura importante das investigações relativamente à interferência de Moscovo nas presidenciais de 2016. 

O tom das críticas vai subir até Novembro e manter-se por mais dois anos. A possibilidade de Trump enfrentar uma dura batalha pela reeleição aumenta, nomeadamente nas primárias onde se esperava que tivesse campo aberto para atacar os democratas. Não há dúvida que a oposição pretende aproveitar uma oportunidade única de recuperar a Casa Branca, mas haverá um grande número de candidatos. 

Os republicanos também pensam de uma maneira semelhante. Ou seja, a fragilidade política de Trump permite a hipótese de chegar ao poder em circunstâncias especiais. A regra de nenhum presidente que se recandidata ter oposição nas primárias será quebrada por culpa própria.

Sem comentários:

Share Button