quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

A economia pode salvar Trump

Os números dos estudos de opinião sobre a popularidade do Presidente não são famosos desde a tomada de posse. A falta de aceitação das pessoas surgiu ainda antes da eleição, mas as críticas constantes dificultam qualquer governação.

O grande problema do Presidente é a resposta a todas as formas de crítica, sendo que, a maioria delas surgem no twitter onde não se consegue perceber se existe irritação, podendo ser susceptível de qualquer interpretação. Os órgãos de comunicação social norte-americanos pretendem denegrir ao máximo a imagem do inquilino da Casa Branca. 

Apesar da falta de popularidade, Trump consegue recolher algum apoio com as melhorias no plano económico. As notícias animadoras facilitam a concretização da promessa de recuperar os postos de trabalho. Os votos ganhos pelo candidato republicano no Mid-West foram decisivos para vencer uma eleição que não contou com a maioria dos votos populares. Se aquela zona geográfica tiver perspectivas económicas positivas dentro de ano e meio, Trump tem a reeleição garantida.

Não há duvida que o presidente governa sem se preocupar com a popularidade. O estilo institucional foi abandonado neste último ano. A questão é saber o que preocupa mais os norte-americanos. A economia está no topo das prioridades, embora haja sempre uma vontade de colocar o país como líder mundial e mais forte face às outras potências em desenvolvimento. 

Na minha opinião, os resultados económicos são mais importantes que indicar uma figura para substituir Bashar al-Assad na Síria. A última campanha eleitoral mostrou como as pessoas sofreram com os problemas do desemprego, apesar de Obama ter deixado os Estados Unidos numa excelente situação.

Sem comentários:

Share Button