quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Costa tem a porta aberta para a maioria absoluta

A saída anunciada por Passos Coelho garante a vitória de António Costa nas próximas legislativas, sendo que, o ambiente causado pelo PCP pode antecipar o acto eleitoral para 2018.

As consequências das eleições fortaleceram o PS que, de repente, não tem adversários à altura dentro e fora do parlamento. O PSD vai perder muito porque o próximo líder provavelmente não será deputado. O único no hemiciclo que pode avançar é Luís Montenegro. 

Neste momento, corre tudo bem a António Costa, apesar da recente reacção do PCP. Os comunistas serão o próximo adversário do governo, o que vai dar um argumento para o primeiro-ministro culpá-los por um eventual fracasso na legislatura. 

O mais certo é Costa demitir-se no próximo ano para tentar conquistar a maioria absoluta que deseja. A única forma de conseguir manter o poder passa por estas habilitades políticas, que são legítimas, mas pouco democratas. 

Aos poucos, o líder socialista derruba os adversários mais fortes ficando apenas com Cristas, Jerónimo e Catarina Martins a fazerem cócegas à sua liderança, apesar dos avisos do comunista.

A eleição de Paulo Rangel é a única que pode causar embaraço, embora seja prevísivel que passe por vários obstáculos.

Sem comentários:

Share Button