quarta-feira, 27 de setembro de 2017

A pequena derrota vai reforçar o poder de Merkel

Os comentários da fragilidade politica de Merkel após o acto eleitoral parecem excessivos, já que, a senhora Europa iguala o feito dos melhores chanceleres alemães como Konrad Adenauer e Helmut Kohl. 

As características políticas da actual chanceler são suficientes para dar a volta, mesmo necessitando de ceder nalguns pontos para construir um governo de coligação, o que não é novidade durante os três últimos mandatos. 

Na minha opinião haverá algumas mudanças a nível interno provenientes de acordos com os liberais e os Verdes, mas as questões europeias vão se manter como estão na agenda de Merkel. A dependência económica da União Europeia face às regras ditadas pela Alemanha é suficiente para continuar tudo no mesmo sentido. Nem Emmanuel Macron tem coragem para desafiar Merkel. 

O segundo aspecto que trava alguma euforia é o Brexit. As constantes mudanças do governo inglês conferem incerteza no plano político e temporal. Os acordos dificilmente serão fechados enquanto Theresa May estiver numa posição política complicada. Por outro lado, o período de transição de dois anos prolonga as negociações.

Acredito que pode haver um clima político desfavorável na Alemanha, sobretudo nas questões com a imigração, Schengen e mesmo na manutenção da aliança com a França, mas não serão impeditivas de continuar com a mesma orientação europeia. No fundo, o que mais interessa....

Sem comentários:

Share Button