quarta-feira, 12 de julho de 2017

Rússia coloca Trump num beco sem saída

A Rússia tem tido domínio político sobre os Estados Unidos. As alegações de envolvimento de Moscovo nas eleições norte-americanas do ano passado são uma vitória para Putin, mesmo que continue a negar qualquer interferência.

O Kremlin assiste à degradação e perca de força dos Estados Unidos a vários níveis, mas sobretudo no plano político e militar. A entrada da Rússia na guerra da Síria impediu os norte-americanos de substituir Bashar al-Assad e criar um clima favorável na região. Neste momento, são os russos que anunciam a morte do líder do Estado Islâmico e constroem infraestruturas de apoio ao desenvolvimento militar no Médio-Oriente. 

A presidência de Trump pode ser colocada em causa devido às ligações a Moscovo. O actual presidente norte-americano tem sido uma marioneta ao serviço de Putin. O aperto de mão entre os dois líderes favorece mais o líder russo que Trump por causa do sentimento anti-Moscovo ainda existente nos Estados Unidos. Qualquer passo dado pelo líder norte-americano no sentido de tentar estabelecer relações com a Rússia será sempre alvo de críticas. O problema é que Trump não pode virar as costas numa altura em que apareceram mais provas que o ligam ao regime, sobretudo com a troca de emails entre o filho e responsáveis russos.

A estratégia montada por Moscovo tem tido resultados porque cria caos político nos Estados Unidos. O presidente norte-americano fica numa posição bastante fragilizada, enquanto Putin continua a sorrir. As críticas são todas dirigidas à forma como Washington deixou Moscovo entrar na Casa Branca. Em primeiro lugar, com um presidente supostamente apoiado pela Rússia. Em segundo, criando uma aparência de amizade que nunca será aceite em território norte-americano.

Sem comentários:

Share Button