segunda-feira, 19 de junho de 2017

Um novo mau exemplo da política externa de Trump

O novo Chefe do Estado norte-americano decidiu terminar as relações diplomáticas com Cuba. A chantagem de Trump em solicitar reformas políticas no país em troca de apoio norte-americano nunca será uma boa jogada política, sobretudo se tivermos em conta a admiração do povo cubano pelo regime iniciado por Fidel Castro. 

O presidente acha que faz um favor ao mundo se exigir mudanças políticas em Havana, mas sabe perfeitamente que dificilmente consegue obter resultados, apesar de Castro ter anunciado que sai em Fevereiro de 2018. O ambiente causado pela administração norte-americana pode causar revolta em Cuba, ao ponto de ter um inimigo parecido com Kim Jong-un mais perto da fronteira com os Estados Unidos. A reacção dos lideres dos países sul-americanos é um indicador negativo que vai causar mais sentimentos negativos contra Washington. 

Os defensores de Trump podem argumentar que o presidente está a cumprir as promessas, mas não devem ter a coragem de dizer que está a actuar em nome dos Estados Unidos. 

O reatamento das relações entre os Estados Unidos e Cuba foi positivo em termos económicos e políticos. O esforço do Papa Francisco I para juntar os dois antigos inimigos acaba por ser deitado para o lixo por uma questão de intromissão nos assuntos internos. Nem sequer indico os apoios norte-americanos a grandes regimes totalitários.

Não existe coerência na política externa norte-americana. Não há um rumo definido, mas uma vontade em rasgar compromissos e terminar com o bom trabalho só porque se falou nisso na campanha eleitoral. Donald Trump pensa pouco na forma como os Estados Unidos podem ajudar na manutenção da actual ordem internacional. 

Sem comentários:

Share Button