sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Estados Unidos e Reino Unido encurralam a União Europeia

A nova postura internacional de Trump tem de ser encarada pelos dirigentes europeus com preocupação. O novo Presidente norte-americano não tem medo de deixar a Europa de fora, recorrendo em primeira mão ao Reino Unido para reestabelecer a velha aliança. 

Os países europeus perdem o comboio do progresso, do crescimento económico e da globalização por causa da falta de estratégia e de adaptação aos novos tempos. Importa realçar a atitude britânica que não teve medo de negociar com Trump, enquanto os líderes europeus andavam mais ocupados em evitar uma possível nomeação do empresário.

Os acordos comerciais assinados entre os Estados Unidos e o Reino Unido deixam os restantes europeus sem possibilidade de negociarem com as duas potências. A aproximação norte-americana também significa que Washington deixa de olhar para Berlim como um gigante económico, substituindo-a por Londres. 

O ano de 2016 correu mal para a Europa por causa do Brexit e da vitória de Trump. 

A aliança entre Trump e Theresa May também pode significar o regresso dos tempos em que os dois países combatiam juntos para garantir a segurança no mundo, como sucedeu em 2003 na invasão da guerra no Iraque. Neste aspecto, a influência dos países europeus na NATO começa a ficar reduzida. 

Sem comentários:

Share Button