terça-feira, 1 de novembro de 2016

Tabuleiro do xadrez muda a favor de Trump

O rumo da campanha mudou novamente, mas agora a balança pende para Donald Trump. Impressiona a forma como os escândalos têm um enorme impacto nas eleições norte-americanas. Basta um tweet, soundbyte ou uma simples notícia que tudo se altera.

As notícias contra a antiga secretária de Estado norte-americana dão razão a Donald Trump que insistiu muito tempo no tema. Também é verdade que nada aparece por acaso. 

Os candidatos jogam com o que podem para ganhar uma eleição marcada pela emoção, embora sem grandes motivos de interesse por causa da falta de qualidade.

A uma semana do acto eleitoral o tabuleiro do xadrez está do lado de Trump que não vai ter pena de Clinton nos próximos dias. Uma nova oportunidade para a campanha continuar no baixo nível.

1 comentário:

João Titta Maurício disse...

Peço imensa desculpa!
Estou longe de ser considerado um "trumpista", mas considerar como campanha de «baixo nível» (ou sequer comparar) esta questão dos emails com a "conversa de balneário" é pretender iludir a verdade.
A questão dos emails é gravíssima sob o ponto de vista jurídico. Até o cover-up no qual a participação do Director do FBI que começou por arquivar a investigação com o argumento de que Hillary não podia ser acusada por negligência pois, com o seu acto (enviar informação altamente classificada através de um email desprotegido) não tinha intenção de prejudicar os EUA: como?!? Não pode ser acusada de negligência porque falta a intenção?!?
E durante toda a campanha das primárias foi poupada à questão e na campanha já com o candidato republicano bastava-lhe um "desculpem, foi sem querer" e acabava o assunto!
Em compensação, não largavam Trump porque ele, numa estúpida conversa de homens, teria ou não dito qualquer exagerada alarvidade, típica de quase todos os homens quando se juntam, seja sobre mulheres, pesca, caça ou automóveis.
E sobre isso não o largavam. Mas ela, a auto-proclamada "maior defensora das mulheres", quando confrontada com um mesma gravação de conversa privada (tão estúpida quanto a outra) em que ela contava como, num processo judicial penal havia conseguido inocentar um violador de uma menor de 12 anos, atacando-a... não obstante saber da culpa dele. E disso se gabando num grupo de amigos, com imensos risinhos. É estúpido? Sim. Deveria ter vindo a público? Não. Mas se veio, porque é que este episódio é relevado e escondido e oo« de Trump foi usado e abusado até à exaustão como revelador da sua falta de carácter e incapacidade for office?

Peço desculpa, mas tinha que desabafar perante aquilo que me pareceu ser mais um consequência da barragem de desinformação mediática em redor destas eleições.

Share Button