terça-feira, 22 de novembro de 2016

O Ocidente estragou o Médio-Oriente

As duas excelentes entrevistas do jornalista Paulo Dentinho a Bashar al-Assad e a Abdullah Fatah al-Sisi provam que a intromissão do Ocidente na primavera árabe e no conflito na Síria foi um erro que vai ser pago durante muito tempo. É verdade que os países ocidentais têm o direito de se defender do terrorismo, mas algumas administrações foram bem mais longe que o admissível.

O Ocidente pretendeu mudar os regimes em vigor, mas acabaram por se queimar, sofrendo com atentados em plena Europa. O problema não está relacionado com questões militares porque se trataram de retaliações pelos ataques terroristas. A questão central são as movimentações diplomáticas que estiveram na origem das divisões que originaram o conflito na Síria, a revolução no Egipto, a destruição da Líbia, além da guerra no Iraque. Tudo começou com a invasão do Iraque em 2003. 

A manutenção de Assad no poder é a única forma do terrorismo ter os dias contados. O Ocidente, em particular os Estados Unidos não podem querer mudar tudo a seu favor. As regras não são iguais em todo o Mundo. Alterar a ordem no Médio-Oriente significa dar mais poder aos grupos terroristas que estavam controlados pelos regimes de Saddam Hussein e Bashar al-Assad, sendo que, continuam longe do poder no Irão e na Arábia Saudita. A suposta violação dos direitos humanos não pode servir como argumento para invadir diplomaticamente os regimes na região. 

Se houver divisão dos territórios, vão nascer mais grupos que irão lutar com armas pela direito à autodeterminação, provocando um êxodo da população para o continente europeu. 

O grande desafio de Donald Trump passa por manter a estabilidade na região. Isto é, o novo presidente norte-americano tem de medir o que é melhor para a região e não pensar apenas nos interesses dos Estados Unidos porque foi isso que fizeram George W.Bush e Barack Obama, embora com atitudes diferentes. A vitória sobre o Estado Islâmico não dá direito aos Estados Unidos pedirem contrapartidas.

Sem comentários:

Share Button