Etiquetas

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

União republicana

Após meses de discussão e e falta de empenho, o Partido Republicano percebe que tem de apoiar Donald Trump para evitar a eleição de Hillary Clinton. Nem que seja só por isso. 

As guerras entre Paul Ryan e o candidato parecem ter terminado, já que, os dois vão caminhar lado a lado no Wisconsin durante o fim-de-semana. O Speaker do Congresso pretende convencer as figuras importantes do partido para não se deixarem enganar pelos truques do Partido Democrata. 

A um mês das eleições, os sinais de união são mais do que as divergências porque é preciso recuperar a Casa Branca. Se Trump não for eleito, a culpa não pode ser só dele. O Partido Republicano perde mais do que o candidato, uma vez que, o empresário sai do mapa político e os republicanos continuarão a dura tarefa de conquistar a Casa Branca a um Presidente que se vai recandidatar em 2020. 

A adversária dos republicanos é a mais difícil dos últimos 8 anos. Nem mesmo Obama tem o peso de Hillary na altura em que se candidatou. Trump é o único que tem conseguido incomodar a democrata, pelo que, merece que todos estejam unidos neste momento importante para o partido. 

Sem comentários:

Share Button