segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Momentos finais da campanha

As próximas semanas da campanha eleitoral vão ser aborrecidos porque não haverá grandes novidades. Os debates ainda conseguem animar a corrida devido à imprevisibilidade e porque há sempre matéria para falar e escrever.

Nos próximos dias são as sondagens que ditam o estado de ânimo de todos os participantes exteriores à eleição, embora os concorrentes também estejam atentos aos números, mas sempre mais preocupados com a resposta no terreno. 

É verdade que Hillary teve uma empurrão grande. No entanto, a questão dos emails ainda não está totalmente esquecida até à hora do voto. 

Também se sabe que Trump vai ter que "correr atrás do prejuízo" que causou sem o apoio da esmagadora maioria do Partido Republicano. As principais figuras que se opuseram à nomeação cumpriram a palavra. A verdade é que os republicanos têm de pensar muito bem no futuro se perderem a Casa Branca, não podendo culpar Donald Trump, já que, após o dia 8 de Novembro, regressa à vida empresarial. 

Os democratas não podem ficar descansados porque a campanha mostrou falta de bons políticos e um partido que está demasiado agarrado ao establishment. A influência de Obama na candidatura de Clinton foi notória, mas as primárias mostraram que é necessário mais abertura. 

Falta pouco para sabermos quem será o próximo Presidente dos Estados Unidos. Nesta altura era mais importante que o futuro líder tivesse uma opinião sobre os principais assuntos do dia, no plano interno e externo, o que ainda não aconteceu por parte de Clinton e Trump.

Sem comentários:

Share Button