Etiquetas

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A contagem final

Dentro de um mês, o Mundo fica a conhecer o novo presidente dos Estados Unidos. A escolha dos norte-americanos não vai ser fácil porque se trata de uma mudança significativa, mesmo com Clinton na Casa Branca.

Os mandatos de Obama não vão ter continuidade, mesmo que Hillary tenha sido lançada pelo actual Chefe do Estado. Não haverá a mesma paciência com os inimigos externos nem novas oportunidades no plano interno.

Os Estados Unidos enfrentam dois enormes desafios relacionados com o crescimento das outras grandes potências. Em primeiro lugar a concorrência económica e o nascimento de novos focos de conflito, no Médio-Oriente e na Ásia. Neste momento, o Estado Islâmico e a Coreia do Norte são os principais inimigos dos norte-americanos, enquanto a China e o Japão pretendem ser a economia número 1 mundial, tirando empresas do solo americano.

O primeiro debate foi elucidativo para se perceber como vão lidar os candidatos com os temas mencionados.

Apesar das propostas serem importantes, o estilo de cada um também está em jogo na noite eleitoral. Os Estados Unidos estão perto de eleger um Presidente que seja sempre alvo de críticas. Trump é o mais visado, mas Hillary tem alguns telhados de vidro. A popularidade também é um indicador importante nos Estados Unidos. Obama entrou na Casa Branca como uma lufada de ar fresco e sai como alguém que poderia ter vencido uma terceira eleição. Ora, Trump e Clinton vão entrar em Washington com pouco crédito por aquilo que apresentaram nesta campanha. Ou seja, muito pouco. 

Os mandatos dizem se a presidência correu bem ou mal, mas o próximo presidente só deve durar quatro anos. Nenhum deles parece ter liderança. Trump ainda mostra determinação nalgumas matérias como o combate ao terrorismo e na defesa dos empregos dos norte-americanos.

Sem comentários:

Share Button