Etiquetas

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Mais uma ameaça terrorista

A ameaça norte-coreana não tem estado presente na campanha eleitoral norte-americana, embora nas primárias republicanas, John Kasich, tenha feito referência ao líder louco coreano.

Os Estados Unidos não mandam no Mundo, mas a aproximação ao pacífico durante o mandato de Barack Obama visa impedir a China de expandir influência na região e conter a ameaça da Coreia do Norte. A luta contra o terrorismo também precisa de abranger o regime de Pyongyang, sendo que, apenas dois países estão na mira de Kim Jong-Un. 

A luta do Estado Islâmico é contra o resto do Mundo, em particular o Ocidente por causa dos valores democráticos e de liberdade, enquanto a Coreia do Norte tem como alvos o vizinho do Sul e os Estados Unido, bastando iniciar uma invasão a Seul para irritar Washington. 

Nas últimas semanas chegaram várias notícias de lançamento de mísseis bem sucedidos. Não há dúvida que existe vontade de provocar os dirigentes norte-americanos. A estratégia de Kim Jong-Un é semelhante aos jihadistas que operam na Síria e no Iraque. A principal arma dos terroristas é causar pânico e um estado de alerta nos inimigos.  


Share Button