quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Trump e a Rússia

A política externa norte-americana com Donald Trump vai ser totalmente diferente porque a exigência será bem maior do que durante o mandado de Barack Obama. 

Uma das relações que irá mudar é a estabelecida entre os Estados Unidos e a Rússia. Acredito que Trump pretende incluir a Rússia na luta contra o terrorismo e a solução no Médio-Oriente. Talvez o candidato republicano consiga que a União Europeia aceite Moscovo, mas os líderes europeus nem sequer vão estabelecer contactos com o republicano.

Na minha opinião, o principal erro de Obama em termos externos foi isolar a Rússia, tendo inclusive, se colocado ao lado de Kiev e da Crimeia aquando da revolução naquele país em 2014. Os Estados Unidos estiveram a reboque da União Europeia, o que prejudicou as relações com Moscovo. Trump tem de reforçar os laços com Moscovo para a luta contra o terrorismo ter sucesso e a crise do Médio-Oriente seja resolvido para garantir o regresso dos refugiados a casa. 

Os Estados Unidos não podem continuar a ignorar a importância da Rússia na ordem mundial, sobretudo, numa altura em que as forças militares precisam de estar activas na luta contra o terrorismo. Se Trump prestar mais atenção a Moscovo é um sinal que vai ignorar a União Europeia. Aliás, as declarações do candidato após a vitória do Brexit mostram que os Estados Unidos ficam longe da Europa nos próximos quatro anos. 

Sem comentários:

Share Button