segunda-feira, 18 de julho de 2016

O poder crescente de Erdogan

A tentativa de golpe de Estado contra o Presidente Recep Tayyip Erdogan é mais um sinal de instabilidade na região provocado pelas guerras no Iraque e na Síria. As revoltas nos dois países perto da Turquia estão a ter consequências. 

Há muito que existe a necessidade de mudança de regime, pelo que, Erdogan tem feito tudo para controlar a oposição porque a possibilidade de haver um efeito dominó na Turquia relativamente ao que se passa na Síria é cada vez maior, em particular devido ao aumento do terrorismo. Os actos terroristas em solo turco são provocados por quem está insatisfeito com o actual regime. 

O problema para a oposição é a popularidade de Erdogan, como se viu no último fim-de-semana. Enquanto tiver apoio popular dificilmente os generais da oposição conseguem ter sucesso porque inevitavelmente irão ter que disparar sobre as pessoas. Enquanto existe ou não mais golpes, o Presidente vai reforçar os poderes, tornando o país cada vez mais autoritário. No fundo, tudo joga a favor do Chefe do Estado.

A partir de agora, o poder judicial também fica na esfera do Presidente. É impressionante como as ordens para a população encher as ruas teve um efeito negativo nos revoltosos. A principal defesa do Presidente contra os golpistas é a população. Erdogan não se esconde só nas leis, mas também atrás das pessoas, o que causou a primeira vitória. 

A tentativa falhada do fim-de-semana também garante mais respeito a nível internacional porque todos ficam com a certeza que Erdogan é o único capaz de controlar o país. 

Sem comentários:

Share Button