quinta-feira, 28 de julho de 2016

Mais uma saída do Coelho

As declarações de Passos Coelho à SÁBADO sobre o convite que fez a António Costa para vice-primeiro-ministro após as eleições de Outubro são mais uma machadada que vai prejudicar o líder social-democrata. A entrevista não caiu bem nos dirigentes do PP que se sentiram traídos, já que, o antigo líder era quem deveria ocupar a cadeira. 

No PS as declarações também não podem ser vistas como uma ameaça porque todos percebem o jogo de Passos Coelho.

O líder social-democrata pretende afastar-se dos centristas, deixando Assunção Cristas sem apoio quando formos a eleições. Estamos perante um sinal óbvio que o PSD vai sozinho a jogo nas próximas legislativas. No entanto, Passos Coelho também quer deixar o PS e o primeiro-ministro numa situação de desconforto por não ter participado num governo de bloco central que seria a melhor solução para o país e a defendida por Cavaco Silva. O problema é que Costa nunca assumiu vontade de se coligar com o PSD. 

Neste momento, Passos Coelho tem vontade de atingir os adversários políticos onde também se inclui o CDS, revelando pormenores da anterior governação. Note-se que os sociais-democratas recolhem para si os aspectos positivos dos últimos quatro anos. 

Após um ano de governo socialista, é certo que os partidos da direita terão de trilhar caminhos diferentes até ao final da legislatura. 

Sem comentários:

Share Button