Etiquetas

terça-feira, 12 de julho de 2016

Japão quer ser mais uma potência mundial

A intenção do primeiro-ministro Shinzo Abe alterar o Artigo 9 da Constituição é um passo para o Japão se afirmar como potência mundial, não apenas no plano económico, mas também militar. A ameaça da China e e da Coreia da Norte na região, além do novo mapa geopolítico são motivos para os nipónicos pretenderem um novo estatuto.

O articulado diz que o Japão tem de optar uma posição pacifista nos conflitos, o que significa não entrar ou participar em guerras. Numa altura em que na Ásia, a ameaça norte-coreana é cada vez mais real, faz sentido alterar a norma. No entanto, Tóquio quer mais do que evitar ser atacado, procurando ser uma força maior na região e no mundo. Ou seja, a possibilidade de recorrer à força tira dividendos diplomáticos.

O Japão quer voltar a ser uma potência mundial com influência nas grandes decisões. Embora tendo lugar nas cimeiras dos principais líderes, é preciso algo mais para assustar os inimigos, mas também alertar os aliados. 

A Ásia corre o risco de se transformar em mais um local de conflito e de difícil resolução como acontece no Médio-Oriente. 

Sem comentários:

Share Button