Etiquetas

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Não assuntos

A semana transacta foi marcada, entre outros acontecimentos, pela proposta por parte do Bloco de Esquerda (BE) de mudança da designação do Cartão de Cidadão. Logo gerou-se muito debate, muita controvérsia, tendo o assunto sido catapultado para o primeiro plano da atenção da sociedade. A maioria das opiniões considerou que esta era uma questão menor, não merecendo a atenção e o tempo nela empregue.

Com este tipo de iniciatiavas o que quer realmente o BE? O BE especializou-se nestas acções, tendo-se destacado no que ficou conhecido como ‘Causas Fracturantes’. Parece-nos que este tipo de comportamento se enquadra num conjunto de actividades que ficaram conhecidas pelo nome de ‘Agitprop’. O objectivo destas acções é, como o próprio nome indica, gerar reacções e, assim, fazer propaganda para o grupo que lançou o debate. A agitação é hoje amplificada pelas redes sociais, onde cada um acaba por ser mais um a replicar a mensagem, provocando algo semelhante a uma reacção em cadeia. O objectivo propagandístico é deste modo alcançado, pois o que está aqui em causa é que fale-se do assunto, que ele seja propagado. E neste caso, foi o que sucedeu: o espaço mediático foi ocupado com a proposta do BE. O Bloco conseguiu ser o partido mais falado, aquele que concentrou as atenções. E que vai marcando a agenda política e mediática.


Para o BE aplica-se a máxima do mundo da Publicidade: ‘Não há má publicidade, bem ou mal o que importa é que falem de nós’. Se for sobre não assuntos, como é este caso, tanto melhor, porque assim não se envolvem na procura de soluções e compromissos para resolver o que realmente interessa à sociedade, fugindo ao fardo que a tomada de decisões acarreta.

Texto de João Vale Sousa

Sem comentários:

Share Button