quarta-feira, 30 de março de 2016

Isolacionismo norte-americano

O próximo Presidente norte-americano corre o risco de continuar com a política de isolamento dos Estados Unidos a nível externo. A Administração Obama optou por afastar a Rússia e alguns países do Médio-Oriente na resolução dos problemas locais como aconteceu na crise ucraniana e a guerra na Síria. O primeiro conflito foi esquecido, mas o segundo originou uma onda de terrorismo em todo o mundo. 

Nos dois casos os Estados Unidos preferiram seguir sozinhos sem ter em conta a opinião dos outros. Ou seja, daqueles que também fazem parte do conflito, pelo que, o isolacionismo é uma marca deixada por Barack Obama. A única excepção foi a aproximação a Cuba e o reatar de relações com a China.

O isolacionismo é a palavra certa porque Obama não tem vontade de ouvir a parte contrária nos assuntos em que o seu ponto de vista está correcto. A campanha eleitoral norte-americana mostra que os republicanos vão seguir o mesmo caminho.O recente apoio de John Kasich aos israelitas é mais um sinal negativo. Não acredito que Hillary Clinton seja como Obama e adopte posições mais flexíveis ao não colocar os Estados Unidos como polícia do mundo. Obama tem criado divisões no seio da comunidade internacional. 


Sem comentários:

Share Button