Etiquetas

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Nas mãos dos sindicatos

As últimas decisões políticas tomadas pelo governo socialista revela que o país, mas sobretudo o Partido Socialista, ficou nas mãos dos sindicatos. A reversão das privatizações dos transportes públicos, o fim dos exames do 4º ano e do modelo de avaliação dos professores e a reposição das 35 horas de trabalho na Função Pública são os exemplos mais recentes do poder que o PCP tem neste executivo. 

O PS não tem tido nenhuma palavra nestas questões, estando sujeito à vontade de um dos seus parceiros de coligação. O cancelamento das privatizações dos transportes públicos, em particular da TAP, é uma medida escandalosa que vai afastar os investidores internacionais do país. No entanto, António Costa vai ter que enfrentar a primeira greve no dia 29 de Janeiro. Ao contrário do que pensa, não será fácil lidar com os protestos na rua. Ainda por cima não podendo recorrer aos partidos da direita em caso de socorro. 

O mais preocupante é a forma como os ministros socialistas são manipulados pelos sindicatos, como é o caso do titular da pasta da educação. 

O país fica a perder com esta situação, mas é o Partido Socialista, sobretudo António Costa, as principais vítimas da influência que os sindicatos recuperaram. 

Sem comentários:

Share Button