segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Debates presidenciais: Henrique Neto vs Maria de Belém

A estratégia de Henrique Neto para os confrontos com os principais candidatos passa por evocar o passado dos mesmos para arranjar motivo de conversa ou telhados de vidro, como aconteceu com Maria de Belém. As funções da antiga ministra enquanto presidente de uma comissão parlamentar de saúde com as de consultora no Grupo Espírito Santo. Ora, mesmo que tenha cumprido a lei fica a questão da ética, como bem analisou o socialista. 

A falsa independência partidária da antiga ministra também foi bem aproveitada pelo ex-deputado no primeiro mandato de António Guterres. Maria de Belém não vai conseguir disfarçar o mau estar por estar ligada a uma vontade expressa por alguns socialistas que não queriam Sampaio da Nóvoa. A questão vai ser mais explorada no debate entre Belém e o antigo reitor. Henrique Neto deu apenas o pontapé de saída. 

O único que conseguiu responder à altura das dúvidas colocadas pelo empresário foi Marcelo Rebelo de Sousa. Veremos se os candidatos apoiados pelo PCP e Bloco de Esquerda terão a mesma astúcia perante os três principais favoritos. 

A socialista denota falta de ideias e respostas concretas, preferindo não se comprometer com uma eventual dissolução do parlamento se for eleita Presidente da República. O problema é que já percebemos que Maria de Belém não é a pessoa pacificadora que a sua imagem aparenta. Como não irrequieto ou traquina como Marcelo Rebelo de Sousa já não existe perigo de dissolução iminente. Por estas razões, Henrique Neto tocou várias vezes na questão da verdade e da ética, além de ter dito que poderia dissolver a Assembleia da República antes de terminar a actual legislatura. 

Notas: Henrique Neto 4 Maria de Belém 2

Sem comentários:

Share Button