Etiquetas

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Um estalo e pena de prisão

A recente medida legislativa de punir criminalmente os piropos vai diminuir os casamentos do nosso país, numa altura em que se pede às famílias para aumentarem a taxa de natalidade. A partir de agora ninguém pode lançar um elogio a qualquer mulher no espaço público. O que serão das discotecas e bares deste país se a lei for cumprida. Dificilmente haverá mais tentativas de engate nos espaços festivos. Ou será que se tem de fazer tudo com muito cuidado?

Na minha opinião, chamar boazona, mandar uns assobios coloridos ou mesmo oferecer uma flor tem sempre o mesmo significado, apesar da maneira mais ou menos grotesca. A lei protege as mulheres porque vão continuar a seduzir os homens sem que estes possam fazer qualquer coisa. Não se pode aceitar que haja legislação contrária ao princípio da igualdade, embora traga mais educação à sociedade em que vivemos. No entanto, nunca se deve limitar a liberdade de expressão, sobretudo no que diz respeito aos afectos, mesmo que sejam detectados excessos de linguagem. 

As consequências para os que violarem a lei serão a dobrar. No caso do piropo ser rejeitado, o criminoso não leva só um estalo, mas também corre o risco de cumprir uma pena de prisão. Ora, a rejeição não é um castigo suficiente para qualquer homem que tenta conquistar uma mulher? O pobre coitado, com o coração desfeito, ainda tem de ficar preocupado se vai ter um processo-crime em cima? Por estas razões a lei é bastante desfavorável aos homens, pelo que, viola gravemente o princípio de igualdade. 

A proposta aprovada é um alívio para aquelas mulheres que se sentem superiores e não dão confiança a ninguém. Ou querem passar essa mensagem.....Não tenho dúvidas que os narizes empinados que circulam neste belo Portugal têm mais um pretexto para recusar qualquer aproximação. Não é só com a ameaça de estalo que afastam os pretendentes, tendo um motivo de força maior para quebrar os corações do sexo masculino. 

2 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Suponho que saberás que esta lei foi já aprovada em Agosto e que é uma iniciativa do PSD que pelo que percebi resulta da transcrição de mais uma idiotice comunitária de quem não tem mais nada para fazer.

Que a lei é idiota, totalmente dispensável e uma perda de tempo creio que a esmagadora maioria dos portugueses independentemente do sexo estará de acordo.

Isto porque os casos de "piropos" que constituam perseguição ou de alguma forma incomodem o destinatário já são puniveis há muito tempo ... A questão aqui é terem agora um enquadramento legal diferente, como se fossem mais graves que outras ofensas.

Por exemplo se num espaço público eu resolver chamar a um individuo corrupto e o incentivar a ir trabalhar arrisco uma multa. É crime e fica registado no meu cadastro mas não arrisco uma pena de prisão.

Já perturbar uma mulher com um brejeiro e perigoso "Estrela queres cometa" dá direito a prisão. Coisas da vida ... em que fazer uma pergunta é considerado mais grave do que o insulto à honra.

Sinceramente o que eu acho é que quando se pretende legislar com este nível de detalhe normalmente sai asneira.

É simplesmente suficiente a lei geral que diz que é proibido em espaços públicos perseguir, incomodar, insultar, ... e deixar aos juízes a determinação da gravidade. É escusado listar todos os casos possíveis até porque fatalmente vamos esquecer alguns ...

Isto dito não concordo com a tua análise porque isto abre uma nova possibilidade de primeira frase de abertura de diálogo: Espero que não me vás colocar umas algemas :-)

Francisco Castelo Branco disse...

Agora não há qualquer possibilidade de diálogo mais atrevido

Share Button