Etiquetas

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Vitórias improváveis


As últimas sondagens no New Hampshire mostram como as primárias norte-americanas não vão ser um passeio para Hillary Clinton, além de criarem maior confusão no Partido Republicano. 

Nos democratas o senador do Vermont está à frente da antiga secretária de Estado norte-americana. A vantagem não é circunstancial, mas 7 pontos percentuais são relevantes e constituem uma motivação extra quando faltam cinco meses para o início das primárias. No próximo ano as eleições começam em Fevereiro e não em Janeiro. Os resultados garantem emoção na corrida e se Joe Biden decidir avançar haverá luta até final. Os números ainda são provisórios, mas revelam que não existe unanimidade em torno de Clinton no seio do Partido Democrata. A estratégia da ex-primeira-dama tem de mudar rapidamente sob pena de ser ultrapassada no início da corrida. 

A luta no Partido Republicano também está ao rubro. Donald Trump lidera confortavelmente, embora Ben Carson se tenha aproximado. Isto quer dizer que os favoritos Jeb Bush, Marco Rubio, Scott Walker e John Kasich apresentam resultados miseráveis nesta altura. Bush, Rubio e Walker quereriam estar com indicadores mais positivos para endurecer a campanha. No entanto, tem sido Donald Trump a ter mais palco ao longo dos últimos meses. O médico Ben Carson ganha visibilidade que desejava. 

As sondagens valem quase nada, mas provocam entusiasmo nas candidaturas que ninguém apostava. 

Sem comentários:

Share Button