Etiquetas

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Não ao PS, governo, mas sim ao euro

O primeiro debate televisivo com Catarina Martins e Jerónimo de Sousa foi bastante desinteressante. Os dois líderes partidários não animaram o debate porque a linha ideológica que representam são muito próximas. PCP e BE têm alguma dificuldade em se distanciar ideologicamente. Este factor é um problema para os partidos de esquerda que concorrem, pela primeira vez, às legislativas. 

Os dois mostraram pouca abertura para negociar com António Costa uma possível solução governativa de esquerda. Não confiam no Partido Socialista para mudar a política de austeridade. Ou seja, não pretendem um executivo submisso a Bruxelas e a Angela Merkel. A chanceler é a principal inimiga política de Catarina Martins e Jerónimo de Sousa. 

Curiosamente nenhum defende a saída de Portugal da zona euro. 

O confronto foi pouco vivo e nenhum dos dois conseguirá aumentar os níveis de popularidade nestas eleições. O Bloco de Esquerda corre o risco de ficar com um ou dois deputados. 

Sem comentários:

Share Button