Etiquetas

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Moeda única no centro do debate


A crise na Grécia deve servir de exemplo para os nossos partidos abordarem o tema da moeda única durante a campanha eleitoral. Não se trata de fazer um referendo sobre se Portugal deve sair ou não, neste caso todos os partidos apontam para a manutenção, mas para saber como o nosso país pode ter uma economia forte no seio da zona euro, sem recorrer unicamente ao debate entre a necessidade de austeridade ou reestruturar a dívida. Os partidos de esquerda e da direita precisam de ir mais além. 

O euro é uma moeda forte quando as economias estão organizadas. Isto só é possível com organização das contas públicas e investimento nas empresas. O Estado não pode continuar a ser um centro de emprego. Neste aspecto penso que o Partido Socialista deveria ter outra visão e não se cingir a um discurso gasto. Como se viu na campanha eleitoral no Reino Unido realizada por Ed Miliband.  

A economia é um tema importantes nestas eleições, já que o desemprego desce e o crescimento económico tem aumentado. O modelo que está a ser implementado pelo executivo, apostando nas exportações, deve ter continuidade, mesmo que o Partido Socialista vença as eleições. No entanto, António Costa já deixou algumas promessas de voltar a investir no sector público, bem como gastar dinheiro na abertura de serviços dependentes do Estado para servir as populações. 

Sem comentários:

Share Button