quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O fim previsível de Alexis Tsipras

O governo grego vai convocar eleições antecipadas para o mês de Setembro. O Syriza durou apenas 8 meses no executivo porque não teve capacidade para evitar um novo plano de austeridade nos próximos anos. Não foi isso que provocou a queda de Alexis Tsipras. O referendo de Junho foi uma má jogada política no plano externo e interno. Na altura achei bem a sua realização, mas o resultado foi enganador porque Tsipras pensou que poderia exigir aos credores melhores condições já que tinha o apoio da população. O problema é que o povo virou-se contra o governo logo que soube das medidas do terceiro resgate e os países do euro não fizeram cedências.

O falhanço de Tsipras, e também de Varoufakis, aconteceu porque não encontrou uma alternativa para o crescimento. O combate ao défice também se faz ao implementar medidas de emprego e crescimento. A dupla do Syriza não fez nada disto, limitou-se a fazer finca pé aos parceiros europeus, em particular a Alemanha. Como se viu a esquerda radical não tinha nenhuma solução mágica. A expectativa da população era essa quando elegeu um partido de esquerda e castigou as forças tradicionais. Não acredito que as mesmas pessoas deixem passar incólume os problemas causados pelo governo do Syriza. A direita ou o PASOK também não vão obter maiorias que lhes permitam governar tranquilamente. Ou seja, as próximas eleições são uma boa oportunidade para outro tipo de partidos ganharem votos. 

A Grécia vai ser um caso perdido se continuar na zona euro. O melhor para o país será sair e continuar a sua vida com o dracma. Só dessa forma consegue ter estabilidade económica e política.

Sem comentários:

Share Button