segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Entrevista a João Garcia

O alpinista João Garcia concedeu uma entrevista ao Olhar Direito em que aborda o passado, mas também o futuro. Descreve a prática do montanhismo como um prazer e um risco. Nos próximos tempos vai ajudar os outros a subir e descer montanhas.

1-     Encara a sua profissão como um risco ou um prazer?

Acho que ambas as coisas. É um prazer onde existem alguns riscos calculados.

2-     A preparação para encarar os desafios passa por questões mentais ou técnicas?

Ambas. “Corpo são, mente sã.” Treinamos o corpo, as técnicas e o resultado é ganhar autoconfiança.

3-     Os seus livros são uma forma de motivar as pessoas para o alpinismo?

Não necessariamente. São uma partilha e uma ajuda para os leitores se inspirarem e quem sabe, “vencerem os seus Everestes”…sejam estes montanhas ou apenas dificuldades da vida.

4-     O que sentiu quando chegou ao topo do Evereste?

Muito cansaço. O cume de uma montanha é a metade da prova, um mero ponto de retorno! A nossa meta é quando regressamos em segurança ao acampamento base.

5-     Qual é o seu próximo objectivo?

Neste momento não tenho planos de continuar a subir cumes de mais de 8000m. Os meus objectivos actualmente passam por ajudar outras pessoas a subirem e descerem em segurança e tornar-me cada vez melhor guia de montanha.

6-     Acha que os portugueses são pouco aventureiros e correm poucos riscos no seu dia-a-dia?

Acho que somos como os outros povos. A sociedade actual procura cada mais segurança e liberdade. Só que para termos mais de uma coisa, temos de abdicar da outra e vice versa.
Os alpinistas a meu ver, conseguem a melhor gestão entre liberdade e segurança. Só tenho pena sermos tão poucos…

Sem comentários:

Share Button