quarta-feira, 22 de julho de 2015

Passos Coelho arranjou um novo inimigo

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, ganhou um novo inimigo que se chama Jean-Claude Juncker. O presidente da Comissão Europeia diz que Portugal sempre se opôs a um perdão da dívida grega. Passos Coelho nega. 

O problema para o chefe de governo não seria grande se, após o entendimento entre a Grécia e os credores, tivesse saído da reunião sem ter dito que o acordo foi quase por obra e graça de Passos Coelho. 

Quase uma semana depois do fim da tragédia grega voltamos a ter notícias sobre os bastidores dos vários encontros. As declarações de Juncker não minam a credibilidade de Passos Coelho, mas é um bom tema para o Partido Socialista, já que António Costa tem pedido ao governo português para ser mais flexível. 

Quando o primeiro-ministro revelou que a ideia do novo acordo tinha nascido da sua cabeça parece que esteve sempre ao lado do executivo liderado por Alexis Tsipras. Isso todos nós sabemos que nunca aconteceu. Infelizmente este é um assunto que já foi aproveitado pelos socialistas. 

Neste momento Pedro Passos Coelho e o governo não podem cometer este tipo de erros nem atitudes porque o que menos precisam agora é uma chuva de críticas que perturba as sondagens. 

Sem comentários:

Share Button