segunda-feira, 22 de junho de 2015

Passos de Coelho

A subida da coligação nas sondagens mostra que o trabalho para a legislativas está a ser bem feito. Com calma e tranquilidade e sobretudo sem prometer um mundo cheio de oportunidades como faz António Costa. O discurso do momento revela um governo seguro daquilo que fez, embora tenha custado muitos sacrifícios a todos os portugueses. No fundo, a maioria de nós não quer voltar a um passado recente. É verdade que a detenção de José Sócrates não ajudou nada o actual líder socialista, por isso se o antigo primeiro-ministro for libertado em cima da campanha eleitoral vai haver problemas porque esse será o tema principal do pré-eleições. 

Neste caso as sondagens motivam os dois partidos do governo que tiveram de recuperar vários pontos face ao Partido Socialista ao longo do último ano. De facto, os números do PSD e CDS quando faltam três meses para as legislativas são notáveis. O Verão e o aumento da capacidade económica dos portugueses nesta altura pode ajudar ao voto na direita. Outro problema para o PS é a dispersão de novos partidos à esquerda, que vão procurar conquistar os votos dos socialistas descontentes e não as pessoas que ainda estão indecisas.Note-se os constantes do Bloco de Esquerda e Partido Comunista Português às opções tomadas pela direcção socialista. As últimas oferecem uma nova oportunidade ao governo tendo em conta os resultados das sondagens. Por estas razões PSD/CDS tendem a crescer e o PS a descer. Duvido que António Costa dispare porque nem quando estava no auge da popularidade conseguiu esse feito. 

Penso que não haverá maioria absoluta e acho que os pequenos partidos vão ser decisivos para a formação de um governo estável. Senão mudam-se os líderes dos principais partidos e vamos novamente para eleições.

Sem comentários:

Share Button