quinta-feira, 2 de abril de 2015

Finalmente fora da Câmara

A saída de António Costa como presidente da Câmara Municipal de Lisboa é uma boa notícia para todos os democratas. De facto, não se compreende porque razão o secretário-geral do Partido Socialista esteve à espera este tempo todo para sair da Praça do Município. Parece que foram as inúmeras críticas que levaram Costa a tomar uma decisão correcta. 

O secretário-geral socialista foi sujeito a um escrutínio desde Setembro que podia ter evitado. Tal como aconteceu quando ainda participava no programa "Quadratura do Círculo" como líder socialista. Parece que o político estava à espera de uma derrota contra Seguro para tomar estas atitudes, ficando com possibilidade de ter um lugar garantido. Embora tenha optado pela melhor posição, acho que tudo isto peca por tardio. Infelizmente os portugueses não estão a penalizá-lo por causa da acumulação de cargos. A ideia que passa é de um homem que necessita dos cargos políticos para viver, não obstante tenha afirmado aos órgãos de comunicação social que vive do seu trabalho. 

A saída de António Costa obriga a eleições antecipadas na Câmara Municipal de Lisboa. Lembram-se quando Carmona Rodrigues se demitiu? Houve eleições, pelo que, existem razões suficientes para o PS agora ter a mesma política. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro Francisco, Carmona Rodrigues sucedeu a Santana Lopes sem que tenha havido eleições... Não há obrigação moral nem legal de se proceder a novas eleições uma vez que se mantém uma maioria estável e, ainda.para mais, plural. Quanto ao exemplo de Carmona parece-me bastante infeliz uma vez que este deixou a CML na bancarrota e com uma sindicância... era só boa gente naquele executivo... memória curta!

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Anónimo.

Mais tarde, Carmona saiu da Câmara porque perdeu o apoio do PSD.

Houve eleições intercalares na Câmara. O mesmo tem de acontecer agora

Share Button