quarta-feira, 18 de março de 2015

Reino Unido lidera grupo dos descontentes

A campanha para as próximas eleições britânicas mostram que o Reino Unido está com um pé atrás em relação à União Europeia. As desconfianças não nasceram hoje, mas é um facto que a supremacia da Alemanha incomoda Londres. Não se trata apenas de questões económicas, embora estas sejam importantes. O problema tem a ver com a supremacia política. É curioso que os britânicos criticam o que se está a passar com o euro, mesmo nunca se tenham interessado por deixar a libra. 

Apesar de tudo, o prometido referendo que assusta os países continentais também não terá resultados significativos. Não obstante euro-cépticos, os britânicos não querem deixar de fazer parte da União Europeia e liderar um grupo de países, no qual se encontra Portugal, que estão descontentes com a actual política liderada pela Alemanha e França. Neste prisma, Londres é vista como uma autoridade de bem que vai derrotar Berlim, Paris e os países do Norte da Europa. No entanto, dificilmente os pequenos do Sul, em conjunto com o leste conseguirão obter resultados favoráveis. 

O discurso britânico é o que deve haver maior solidariedade entre todos, o que neste momento, não acontece. Acredito que David Cameron após vencer as eleições tem como missão criar confusão e divisões em Bruxelas. Neste aspecto tenho a convicção que vai contar com o apoio da oposição interna. A Europa reage com indiferença ao referendo, mas quando estivermos perto de 2017 a postura vai ser outra. Como se está a ver no caso grego, Berlim fica com medo sempre que se aproxima alguma força de bloqueio aos seus interesses.

Sem comentários:

Share Button