segunda-feira, 16 de março de 2015

Esgotado

A insistência de José Sócrates em tentar a sua libertação deixa-o numa posição fragilizada. Em termos políticos porque o ex-primeiro-ministro pretende com os pedidos de Habeas Corpus ter mais tempo de antena junto da opinião pública. A atitude de João Araújo perante uma jornalista da CMTV mostra que o José Sócrates está esgotado e começa a perder a batalha. Não só política, mas também jurídica. 

A decisão que pode acabar com a prisão preventiva será conhecida amanhã pelo Tribunal da Relação que julgará o recurso sobre as medidas de coacção. Ora, se Sócrates perdeu tempo ao fazer uma campanha na comunicação social em sua honra, será que vai recolher os frutos em termos jurídicos? Penso que não porque a justiça também tem de avaliar o barulho que o antigo chefe de governo está a fazer em torno deste caso. Não pode o tribunal ficar alheio a tudo o que se passado relativamente à "Operação Marquês". Sócrates tem todo o direito à sua defesa, mas deve-o fazer em sede própria porque depois oferece trunfos a quem decidiu esta medida. 

Tenho a certeza que Sócrates também já perdeu credibilidade junto da opinião pública, único factor que lhe garantia alguma motivação para continuar a enviar cartas desde a prisão. Como seria de esperar este processo está a ser mediático e também político. 

Sem comentários:

Share Button