segunda-feira, 30 de março de 2015

A Madeira como primeiro teste

O PSD obteve uma vitória esmagadora nas eleições da Madeira. O segundo partido mais votado foi o CDS, enquanto o PS registou um terceiro lugar. Na ilha o principal partido da oposição é o CDS e não os socialistas. 

A 11ª vitória dos laranjas na região autónoma é uma importante notícia para o primeiro-ministro, mesmo que, Miguel Albuquerque não tenha sido o candidato a líder do partido escolhido pela actual direcção. Também na Madeira os sociais-democratas enfrentaram críticas devido às dificuldades e ao programa de ajustamento que foi necessário fazer nos últimos quatro anos. À semelhança do que aconteceu no continente, os madeirenses também sofreram. 

As circunstâncias e características das eleições regionais e legislativas no continente são diferentes. Em Portugal a vitória do PS pode estar assegurada, mas a maioria absoluta é uma situação duvidosa. Duvido que algum partido tenha maioria no clima social e económico em que vivemos. Normalmente costuma-se fazer leituras nacionais quando após um acto eleitoral de natureza diferente, como foi o de ontem. 

Não obstante a vantagem socialista ainda está tudo em aberto para Setembro/Outubro porque muita coisa vai acontecer. A subida do partido de Marinho Pinto significa uma perda de votos para o PS e o PSD. Os dois do bloco central vão sofrer devido à acção governativa do segundo e por causa do passado do primeiro. Por tudo isto, ainda é cedo para os socialistas cantarem vitória ou os partidos do governo deitarem a toalha ao chão. As próximas eleições serão as mais imprevisíveis, porque como acontece na Madeira, o partido de protesto será mesmo o único vencedor. 


Sem comentários:

Share Button