sábado, 29 de novembro de 2014

Tblissi deixa Moscovo para se juntar à União Europeia

O Parlamento Europeu vai aprovar um acordo de associação celebrado entre a União Europeia e a Geórgia. O tratado com a república surge depois dos conflitos em Kiev que resultaram na divisão do país. Recorde-se que a queda de Viktor Yanukovich deveu-se às pressões russas para que Kiev não assinasse nenhum acordo com a UE. Ao contrário, a população desejava o entendimento e demonstrou isso nas várias manifestações que realizou na Praça da Independência.

A Geórgia parece estar na mesma situação uma vez que tem de lidar com o problema da Abkházia e da Ossétia do Sul. As duas regiões estão alinhadas com Moscovo, tendo celebrado recentemente acordos de natureza militar. 

O executivo georgiano pretende ficar do lado dos valores ocidentais e desligar-se política e socialmente de Moscovo. Neste caso, tal como aconteceu com os ucranianos, a população na Geórgia quer ficar do lado do governo. 

A pouco e pouco as antigas repúblicas soviéticas estão a mudar a sua orientação política, como que isolando Moscovo porque pretendem abraçar a evolução económica, social e política da União Europeia. Não sei se os executivos estão a seguir as indicações norte-americana, mas é um facto que se tem assistido a uma mudança de paradigma naquela zona da Europa, no que diz respeito às parcerias estratégicas. Os comportamentos que se verificam também estão ligados à forma como Vladimir Putin tem tentado pressionar os executivos dos países de leste. O presidente russo ainda não percebeu que muitos países já são democracias, apesar de ainda não ter experimentado este regime em sua própria casa. 

Sem comentários:

Share Button