Etiquetas

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Fim do sonho catalão

O Tribunal Constitucional espanhol proibiu a realização do referendo sobre a independência da Catalunha que se realizaria no próximo dia 9 de Novembro. Isso não vai acontecer e parece que Artur Mas deitou a toalha ao chão ao anunciar uma consulta que não tem efeitos vinculativos. Serve apenas para catalão expressar um desejo. Possivelmente, nem no referendo nem nesta consulta opinativa a Generalitat venceria. 

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, ganhou a batalha jurídica e política, pelo que se vai apresentar nas próximas eleições legislativas com mais votos. Rajoy venceu em toda linha, não só sobre rivais catalães, mas também em relação à esquerda espanhola, apesar do PSOE ter estado sempre ao lado do chefe de governo. 

O que se segue vai ser igual ao que aconteceu na Escócia. Nada. A luta pela autonomia vai ficar pelas manifestações de rua que se organizam todos os anos para mostrar ao mundo que existe uma causa nacionalista em Espanha. Tal como acontece no País Basco. No entanto, desta vez os nacionalistas estiveram muito perto de conseguir uma vitória. A realização do referendo era só o primeiro passo, depois haveria outros métodos. 

Apesar de tudo vamos voltar a ouvir falar de divisões internas no país vizinho. Nem outra coisa seria de esperar numa Nação que nasceu dividida e assim ficará durante muitos séculos. Os mecanismos políticos e jurídicos são fortes, mas a vontade popular está a ganhar dimensão. É certo que ainda não é suficiente para fazer cair um governo no seio da Europa, em concreto na União Europeia, mas tem conseguido algumas pequenas vitórias, como se viu na Ucrânia.

Com o fim da luta pela independência da Catalunha acaba também o sonho de Artur Mas se tornar uma referência política em Espanha. Na minha opinião ficará para sempre conhecido como aquele a quem Mariano Rajoy aplicou um golpe duro. 

Sem comentários:

Share Button