sábado, 13 de setembro de 2014

Figuras da Semana XVI

Por Cima

Barack Obama - O presidente dos Estados Unidos da América anunciou esta semana que iria efectuar pequenos bombardeamentos sobre alvos do Estado Islâmico no Norte do Iraque e na Síria. A decisão de Obama é a mais acertada até porque os guerrilheiros não têm meios para se defender, daí que recorram às decapitações sobre cidadãos norte-americanos. Não é só pelo facto de Obama ter tomada esta decisão que hoje está no topo. Parece que será possível um acordo com Bashar Al-Assad para realizar ataques na Síria. Será que isto representa um princípio de acordo para também acalmar a guerra no país? Penso que não porque os EUA não estão preocupados com as questões internas da Síria. 


No Meio

Marinho Pinto -  O ex-bastonário da Ordem dos Advogados vai fundar um novo partido para concorrer ás legislativas 2015 sob o lema "Liberdade, Justiça e Igualdade". Não vale a pena fazer uma análise muito profunda de Marinho porque vamos ter muitos posts sobre ele. No entanto, é de registar o facto de um homem que nunca teve uma ideia para a justiça venha defendê-la. Marinho Pinto não é um populista, mas um oportunista político. Por outro lado, o ex-eurodeputado vai formalizar um desejo de muitas pessoas que é o de criar um novo partido. Ora, isto é um desejo de muitas pessoas, mas ninguém avança. Marinho Pinto avançou e atrás dele pode ser que se abra uma porta importante já que a democracia portuguesa precisa de mais forças partidárias.

Em Baixo

Paulo Bento - Finalmente consumou-se a saída de Paulo Bento da selecção. Infelizmente foi com um ano de atraso uma vez que o apuramento para o Mundial 2014 via play-off foi uma autêntica vergonha. Portugal tem a obrigação de apurar-se sempre em primeiro lugar e não me venham com a história de não termos jogadores ou o nosso recrutamento ser pequeno. A Holanda é um país com dimensões inferiores a Portugal e fica sempre classificada em primeiro nas fases de apuramento. Sempre foi um crítico de Paulo Bento desde o dia em que entrou na FPF. Tal como aconteceu com a saída, também a entrada como seleccionador deu-se pela porta pequena porque veio substituir Queiroz por causa de um capricho federativo. A única excepção ao mau desempenho de Bento foi a participação no Euro2012, mas também aí tivemos de ir a um play-off para estarmos na Polónia e Ucrânia. No fase final com um pouco mais de risco tínhamos vencido a Espanha e chegado à final. A selecção nunca praticou bom futebol durante a Era Bento, razão pela qual não há registo de goleadas. Ao invés, os jogos contra equipas fracas foram sempre sofríveis. Já expliquei as razões pelos quais fiquei contente com esta decisão. Agora é tempo de dar à selecção aquilo que os nossos jogadores merecem.

Sem comentários:

Share Button