segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Ajax: 20 anos depois da última Champions

No próximo ano vai fazer 20 anos sobre a última vitória do Ajax na Liga dos Campeões. Em 1994-95 os actuais tetracampeões holandeses venceram o AC Milan com um golo de Patrick Kluivert a cinco minutos do final do jogo. Na altura jogavam no clube nomes como Van Der Sar, Danny Blind, Rijkaard, Seedorf, Edgar Davids, Litmanen e Marc Overmars. A formação holandesa é um dos melhores clubes no seu país a par do PSV e Feyenoord, mas nos últimos quatro anos a equipa da capital foi a que conquistou o troféu mais importante. Após ter assegurado o domínio interno, o clube tem ambição de voltar a ganhar uma competição europeia, seja a Liga dos Campeões ou mesmo a Liga Europa. Apesar da vontade de levantar novamente a taça respeitante à maior competição de clubes da UEFA ser um sonho legítimo de qualquer clube, o jornalista António Tadeia, garante que “é muito díficil o Ajax conquistar o principal título europeu, embora tenham condições para chegar a uma final da Liga Europa, até porque eu acho que eles estão mais preocupados com o domínio interno do que em obter bons resultados internacionais”. Por seu lado, o jornalista holandês Jasper Van Vliet, corrobora da mesma ideia e diz que “o único objectivo do clube é passar a fase de grupos da Liga dos Campeões, mas os dirigentes sabem que é difícil por causa da presença do Barcelona e do PSG”.  O objectivo de o Ajax vencer o campeonato nacional holandês é um sonho que está mais ao alcance das actuais condições do clube. António Tadeia acha que “os dirigentes do clube estão mais preocupados com o domínio interno do que em obter bons resultados internacionais”. No entanto, Van Vliet garantiu ao Olhar Direito que “o clube tem a ambição de voltar ao topo da Europa utilizando o talento que têm na academia”.


A equipa holandesa tem feito uma aposta forte nos jogadores da sua formação, à semelhança do que aconteceu quando venceu a Liga dos Campeões pela última vez. Quase 20 anos depois a estratégia é a mesma, mas as vicissitudes do mercado futebolístico mudaram muito com o crescimento dos grandes clubes europeus que retiraram a possibilidade das equipas dos campeonatos secundários em conquistar as principais provas da UEFA uma vez que os jogadores que actuam nestas formações são transferidos para equipas espanholas, britânicas, italianas e alemãs. António Tadeia entende que “este mercado aberto é responsável pelo facto dos grandes clubes ficarem com os melhores jogadores mais cedo”. Em relação a este aspecto, Jasper Van Vliet considera que “os clubes holandeses vão perder sempre os melhores jogadores por causa da competitividade das outras ligas, mas também por razões financeiras”. Na opinião do jornalista freelancer a “única forma das principais equipas serem competitivas é manter os melhores jogadores da formação durante muitos anos”. A recente venda de Daly Blind (filho do campeão europeu Danny Blind) para os ingleses do Manchester United por 17 milhões de euros e de Kenneth Vermeer para os rivais do Feyenoord confirma a teoria defendida pelo comentador da RTP. A aposta em jogadores holandeses é uma certeza quando olhamos para o plantel do Ajax, sendo que os restantes jovens jogadores são provenientes de países escandinavos. Outro problema que poderá estar ligado à falta de ambição internacional do clube holandês tem a ver com as receitas. Na opinião de António Tadeia, “o clube não tem receitas necessárias para financiar uma mudança de estratégia”. A grande maioria dos clubes vive em função da bilhética, dos direitos televisivos, mas, sobretudo da venda de activos, situação que o Ajax resolveu de forma positiva neste mercado de Verão. Os dois jornalistas contactados pelo blogue entendem que a actual estratégia dos dirigentes do Ajax em apostar na formação é a mais acertada tendo em vista a actual dimensão do clube bem como da realidade futebolística em que estão inseridos. 

Sem comentários:

Share Button