quarta-feira, 9 de julho de 2014

Um Rio de dúvidas

O ex-presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, admite candidatar-se não só a líder do PSD, mas também concorrer a Belém. A altura deste anúncio é apropriada porque no ano que vem o PSD pode ter que mudar de líder e meses depois haverá alteração em Belém. Posto isto, Rio vai condicionando os restantes putativos candidatos a líder do PSD e quem quiser ter o apoio dos sociais-democratas a Presidente da República, como é o caso de Marcelo Rebelo de Sousa e Pedro Santana Lopes. Ora, Passos Coelho já tem muito por onde escolher caso vença as legislativas do próximo ano. 


Rui Rio é inteligente porque atira-se aos dois cargos, ele que há pouco tempo está sem actividade política. As aparições do antigo autarca fazem lembrar Pedro Santana Lopes que estava sempre disponível para tudo. No entanto, Rio tem muito mais competência e qualidade do que o actual provedor da santa casa da misericórdia de Lisboa, pelo que em qualquer circunstância tem capacidade para conquistar, quer o eleitorado laranja, quer a população portuguesa.

Como disse, neste momento é mais fácil conquistar Belém do que a São Caetano à Lapa. Continuo a acreditar que a maioria pode vencer as legislativas, porque o caos no PS é tanto que nem Costa nem Seguro convencem o eleitorado fora do partido. Se em relação a Belém é normal existirem avanços, considero que qualquer ofensiva à actual liderança social-democrata é um acto de traição porque na minha opinião não se deve colocar cenários de derrota à própria equipa. A camisola é para ser defendida em qualquer circunstância, mesmo que no horizonte esteja uma derrota. E neste aspecto, Rui Rio ainda tem muito que aprender e não pensar apenas no seu umbigo. 

Sem comentários:

Share Button