terça-feira, 29 de julho de 2014

O Jardinismo

Embora não goste de Alberto João Jardim acho que o ainda líder deixou obra na Madeira. No entanto, considero que sempre houve um tratamento especial por parte do Estado português em relação às exigências do Funchal. Neste aspecto eu acho que o presidente do governo regional acaba por ser ingrato ao estar sempre contra Lisboa. Até porque em muitos casos houve dinheiro público mal gasto.


Apesar de tudo percebo a atitude política de Jardim que tenta fazer da Madeira uma espécie de ilha à parte do resto do continente. O problema é que a autonomia também tem de ser financeiro, e em relação a isto os líderes regionais nunca deixaram de aceitar ajuda. Por isto entendo que a carreira política de Alberto João acaba aqui. Em termos nacionais não tem nenhuma popularidade e nunca venceria o partido. É óbvio que se trata de uma figura histórica do PSD, mas até esses estão a perder espaço dentro das estruturas. Contudo, ainda o vamos ouvir na comunicação social, mas acho que é tempo de Alberto João gozar a reforma como deve ser, embora seja natural que muitos sintam o bichinho. É como todo o futebolista que passa por um processo após terminar uma carreira. 

Sem comentários:

Share Button