quinta-feira, 17 de julho de 2014

As primárias são um passo em falso

Tenho ouvido muitas pessoas afirmarem que as primárias do PS são uma novidade no sistema político português, mas que em nada vai alterar a pouca vontade dos portugueses em participar mais na política. O argumento que se dá é o facto de não se poder mudar a mentalidade apenas porque os cadernos eleitorais estão abertos ao cidadão comum através de uma simples inscrição.

Então o que se passa?

Na minha opinião o verdadeiro problema está no conteúdo político e a na personalidade dos personagens principais. É verdade que o sistema não permite uma maior clarificação nem o debate que todos desejam, mas enquanto os protagonistas não tiveram qualidade intelectual e política até podem fazer uma votação por voto electrónico. No entanto, a questão maior também tem a ver com a forma como este processo foi iniciado. Quem não considera que a realização das primárias foi uma fuga para a frente da actual direcção socialista meta um like. Se em relação a estas primárias há debilidades na forma e no conteúdo é muito provável que este acto eleitoral seja um verdadeiro fiasco ao contrário do que pode acontecer em Espanha onde o PSOE também vai eleger o próximo candidato a primeiro-ministro da mesma maneira. 

O povo lá vai dizendo que "o que nasce torto jamais se endireita". Não vejo como é que o resultado final da eleição do próximo dia 28 não vai acabar numa imensa confusão política e jurídica para os lados do Largo do Rato, que podem muito bem originar confrontos físicos porque não estou a ver nenhum dos candidatos a aceitar uma derrota. 

Será que Seguro vai perder as regras que definiu para tentar acabar de vez com Sócrates?

1 comentário:

Goody disse...

Enfim avaliar o processo pela qualidade dos proponentes deixaria sei lá por exemplo a democracia americana bastante mal ... avaliar o processo pela possibilidade (por enquanto imaginária) de batota ou de desrespeito das regras enfim ...

Share Button