terça-feira, 22 de julho de 2014

António Costa e Rui Rio pressionam Cavaco Silva

António Costa e Rui Rio querem eleições legislativas antecipadas para o próximo mês de Abril de 2015. Ora, se o primeiro pode vir a beneficiar com isso uma vez que tem hipóteses de vir a ser o próximo secretário-geral socialista bem como o candidato do partido a primeiro-ministro, já Rui Rio só tem interesses após o acto eleitoral. Por esta tomada de posição Rio assume que quer ser candidato a líder do PSD, mas caso Passos Coelho consiga formar uma maioria, o objectivo do ex-autarca do Porto passa por Belém. Concordo com a atitude de Costa porque quanto menos tempo tiver o governo para recuperar melhor. No entanto, acho que Rui Rio está a precipitar-se por querer acelerar uma candidatura a líder social-democrata. Nota-se nos dois que há um jogo de interesses, que em democracia é legítimo.

Considero que os pedidos dos dois resultam de pressões dentro dos respectivos partidos. Não tenho dúvidas que António Costa sente que tem o PS e o país a seu lado. Por seu lado, Rui Rio já garantiu apoios importantes para a São Caetano à Lapa. E se alguém quiser ser candidato a líder do PSD tem de o fazer agora, o problema é que a maioria dos laranjas ainda está unido em torno de Passos Coelho. 

Entendo que tanto Costa como Rui Rio têm possibilidades de ganhar os partidos em que estão filiados. Em relação ao país a conversa é outra. Quanto menos tempo tiver António Costa, pior será para ele, até porque se vai acumular a presidência da Câmara de Lisboa não irá ter disponibilidade política para ser líder em dois lados. Rui Rio não vai ter espaço parlamentar senão for incluído nas listas do PSD para a Assembleia e penso que lhe falta experiência em lugares no governo. Embora isso não seja fundamental, Rui Rio é político e não um técnico e por esse factor, não tem carisma para ser de caras um candidato a primeiro-ministro ganhador. 

Sem comentários:

Share Button