Etiquetas

domingo, 8 de junho de 2014

Olhar a semana - "fraude" partidária

Temo bem que as próximas primárias no PS seja um espectáculo triste e que acabem no tribunal. A disputa pelo poder vai ser feita entre aquele que controla a máquina partidária socialista e quem será apoiado pelos "socráticos", entre eles destacam-se grande parte dos deputados que até então estiveram com António José Seguro. Ora, no parlamento o actual líder não irá ter problemas porque as primárias são logo a seguir ao verão, pelo que vamos ter o PS ausente até Setembro, pelo menos.....

Tendo em conta o nível do discurso, as armadilhas processuais e o que aí vem, podemos garantir que as próximas eleições sejam as piores de sempre realizadas por um partido em Portugal. Não sei se vai haver primárias, congresso ou directas. Uma coisa eu tenho a certeza: a campanha e o acto eleitoral serão tão sujos que o PS dificilmente sai limpinho, tendo como consequência mais directa a subida da maioria nas sondagens. Continuo a achar que António Costa deveria ter lançado a sua candidatura há um ano atrás ou esperava pelas legislativas 2015. Não será em meio ano que se constrói um PS forte e vencedor, até porque o executivo tem a estratégia preparada para ganhar daqui a um ano. 

O problema desta disputa que envergonha o país e o partido é que nenhum dos candidatos nem os aparelhos que os apoiam têm argumentos para liderar os destinos do país. De facto, Seguro representa a máquina e tem usado todas as artimanhas possíveis para mostrar que está com razão. No entanto, isso não chega e o problema é que actual secretário-geral já percebeu que vai perder. Quanto a Costa ninguém lhe vai tirar a alcunha de "delfim de Sócrates", e os recentes apoios demonstrados por Soares e Sócrates em  nada beneficiam o actual autarca lisboeta. 

Na minha opinião o PS ainda vai ficar mais dividido depois destas eleições porque os actuais apoiantes de Seguro também estiveram com Costa/Sócrates, mas não aceitam esta traição. Falo de nomes importantes no PS como é o caso de Francisco Assis e Alberto Martins. Quem não se lembra de Assis ao lado de Costa há um ano quando se falava numa eventual candidatura do presidente da câmara. Contudo, nem o vencedor das eleições europeias nem o líder parlamento do PS podem atacar António José Seguro, embora tenham simpatia e amizade por António Costa. Contudo, na política há feridas que se abrem e nunca mais voltam a ser saradas. É isso que vamos assistir no PS com esta fantochada e brincadeira...

Sem comentários:

Share Button