quinta-feira, 8 de maio de 2014

Afinal o IRS também vai descer

O governo anunciou que o IRS pode baixar nesta legislatura se houver condições para isso.

Ora, há uma semana aquando da apresentação do DEO, Maria Luís Albuquerque disse que não haveria condições para isso, e o primeiro-ministro, tem vindo a repetir a mesma ideia há bastante tempo. Sempre acreditei que o executivo não poderia ganhar as próximas eleições se não der um bocadinho de si aos eleitores que, durante três anos, fizeram enormes esforços para colocar o país em ordem. 

Se o governo não anunciou antes mas já sabia que iria descer o IRS, estamos perante uma medida relevante e eleitoralista. Em minha opinião isso não tem mal nenhum porque o governo tem de fazer qualquer coisa positiva para começar a ganhar a confiança dos portugueses, sendo que não basta dar um pontapé na troika para ficarmos mais alegres, até porque se a austeridade continua o PSD e CDS não conseguem alcançar um voto. 

Penso que o governo tem andado ao sabor da estratégia e por isso é que anuncia medidas difíceis e depois alivia a tensão criada em torno dessa orientação. Não espanta que alguns acusem Passos e Maria Luís de "mentirosos".

Apesar da vontade do PM e da Ministra em baixar o principal imposto, tenho a certeza que a pressão feita pelo CDS, em particular Paulo Portas, está a resultar. Relativamente ao número 2 do governo, justiça seja feita porque desde sempre defendeu um alívio imediato da carga fiscal. 

Sem comentários:

Share Button