Etiquetas

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Regresso aos mercados

Antes da conclusão do programa da troika, Portugal vai regressar em pleno aos mercados na próxima 4ªfeira. Ora não vai ser preciso eleições nem ajudas exteriores para o país garantir a confiança dos investidores externos. Este regresso é um indicativo importante que não vai ser necessário nenhum programa cautelar e que o governo já tomou a opção de sair à portuguesa, como sempre defendi. 

Podemos discutir os custos sociais, os números do desemprego, pobreza e outros, mas a verdade é que o executivo fez um excelente trabalho, porque andou a cumprir o que outros assinaram. Além disso Passos Coelho sempre a maioria do país e a oposição contra si. Se em relação aos portugueses é normal haver desconfiança, já a oposição socialista devia ter sido mais responsável porque também assinou este memorando da troika e as críticas que fez ao longo de três anos também estavam a atingir a sua assinatura. 

Embora sejam necessários mais ajustamentos, daqui para a frente o clima económico vai ser outro. O discurso também será diferente entre todos os sectores da sociedade. Sempre achei que Portugal ia resolver a crise porque o problema nacional é de contas públicas, de muitos gastos em vários serviços do Estado. Não interessa agora arranjar culpados para o que aconteceu porque todos sabemos quem foi, agora é preciso saber como se vai colocar este país a criar riqueza, porque esse também sido um problema. Porque razão é que Portugal cresce tão pouco? Não é decerto por causa de questões de tamanho ou da demografia. 

A Reforma do Estado passa por criar condições de crescimento, mas sobretudo de investimento. As grandes empresas e empresários estrangeiros precisam de ter estímulos para colocar cá o seu dinheiro. E para que isso aconteça foi necessário desbloquear alguma burocracia que estava a impedir a entrada de capital em Portugal. 

O Governo cumpriu a sua primeira missão e até Maria Luís Albuquerque já sorriu....

Sem comentários:

Share Button