Etiquetas

domingo, 6 de abril de 2014

Olhar a Semana - Factura da mentira

O governo anunciou há uns meses que os contribuintes vão poder ganhar um automóvel como prémio por terem pedido um número ilimitado de facturas nos últimos meses. 

A propaganda do governo gerou um estado de excitamento em cada português que continua a pedir facturas mesmo que consuma apenas uma bica. Ora, como é natural estamos todos à espera que nos calhe um automóvel topo de gama. Contudo, a factura da sorte tem algumas mentiras escondidas. 

Mentira número 1: os contribuintes precisam de validar as facturas para entrar no concurso. O mais natural é o facto de vários portugueses só terem tido conhecimento destas regras quando foram ao Portal das Finanças para verificar os cupões acumulados. Qual não é o espanto quando verificaram que não vão ter cupões porque não validaram as facturas. E como é que se valida as facturas? pergunta o menino Luís à sua mãe. Ninguém sabe porque não se sabia a necessidade de efectuar esta operação. É muito provável que milhares de portugueses não vão a jogo no próximo dia 17....

Mentira número 2: Dizem os especialistas que a probabilidade de vencer o concurso idealizado pelo governo é semelhante ao euromilhões. E se tivermos em linha de conta que quase ninguém validou as facturas......
É sabido que o euromilhões torna uma pessoa milionária de dez em dez anos, pelo que é possível a factura da sorte atribuir um automóvel a cada 20 anos. O problema é que a legislatura acaba já em 2015 e não estou a ver o governo de Seguro a atribuir automóveis às pessoas. 

Ou muito me engano ou este concurso só vai ter a edição número 1 que se realiza no dia 17. A expectativa dos portugueses será grande quando a tombola girar, mas o entusiasmo vai acabar quando se anunciar o vencedor anónimo. Depois mais ninguém liga a isto. Contudo, é bom que os portugueses continuem a pedir facturas uma vez que isso faz andar o país para a frente e obriga todos a pagar impostos, em particular as grandes empresas. 

Por seu lado, é bom que o governo consiga fazer passar a mensagem que pedir a factura é importante do ponto de vista fiscal e não comercial. A ideia em torno do concurso é uma fantochada. Lá diz o ditado que "tudo o que nasce mal jamais se endireita...."

1 comentário:

Kruzes Kanhoto disse...

Só para esclarecer: Apenas são passiveis de validação as facturas com eventual beneficio fiscal e, mesmo assim, só se o emitente tiver vários CAE's. Exemplo: Uma factura de uma gasolineira que tenha um bar.

Share Button