Etiquetas

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Maioria para o PS

Nas últimas semanas o jornal i e o Expresso revelaram sondagens onde o PS estava perto da maioria absoluta para as legislativas 2015. Nos mesmos estudos tem-se verificado uma queda acentuada do PSD e do CDS. 

No entanto, é curioso verificar que nas eleições europeias, o PS só tem dois pontos percentuais de vantagem sobre a coligação Aliança Portugal. No escrutínio europeu é o cabeça-de-lista que está em jogo e não o líder do partido, e neste aspecto, Rangel é muito melhor do que Francisco Assis e no dia 25 de Maio haverá uma nova vitória, não do PSD ou de Passos Coelho, mas de Paulo Rangel. 

Embora o PS caminhe para uma maioria absoluta, ainda é cedo para fazer uma análise profunda, até porque vão haver muitas alterações até ao final de 2015. É óbvio que o Governo tem estado atento a esta situação e por isso terá de fazer algumas concessões a nível fiscal. Não sei se o aumento do salário mínimo deverá ser acompanhado por uma redução dos impostos, embora o PM já tenha dito que não há margem para alterar o IRS porque mexeu no IRC. 

As sondagens que vieram a público são também um engano face ao que realmente vale António José Seguro, mas também sobre o estado interno do PS. A partir do dia 17 de Maio o Largo do Rato vai entrar em "conflito" porque o governo está quase a alcançar uma vitória, mais não seja porque limpou a porcaria que os governos socialistas deixaram no país. Alguém tem dúvidas que essa vai ser a mensagem do governo para o próximo ano e meio que falta da legislatura? 

Na minha opinião isso pode não ser suficiente para o PSD obter uma maioria absoluta, mas o CDS estará sempre disposto a dar uma ajudinha a formar governo. 

1 comentário:

Anónimo disse...

Este texto está completamente descontextualizado o que se passa no país. E é pena que o PSD e o CDS não tenham a consciência de que vão cair e do quanto vão cair. Cá estaremos para ver.

Share Button