Etiquetas

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Ideias Políticas XXVI: Vire à Direita, mas não tropece no conservadorismo nem nas tradições

Pense em Deus e siga todas as suas instruções. Manifeste o seu nacionalismo exacerbado e utilize os símbolos nacionais como é o caso do hino e da bandeira, sobretudo em momentos altos para o país, como são os campeonatos de futebol. Constitua família o mais cedo possível, case com a sua cara metade e tenha muitos filhos e se possível vista-os todos de igual e meta-os nas melhores escolas de Portugal.

Os três valores que escrevi são bem conhecidos do Estado Novo: Deus, Pátria e Família. O anterior regime era apelidado, e bem, de fascista. Os princípios conservadores fizeram de Salazar e Marcelo Caetano inimigos públicos número 1 da sociedade portuguesa e dos partidos que estiveram na origem da revolução, em particular o PS e o PSD, já que o CDS é claramente um partido democrata-cristão, nada tendo de liberal como muitos apregoam, pelo menos nesta liderança de Paulo Portas.

Ainda se confunde muito a direita actual com o fascismo. Quem é de direita no nosso país; ou é conservador ou tradicionalista, com tudo o que estas palavras representam numa sociedade que se diz aberta, moderna e defensora dos direitos das minorias, como são os gays e os animais.

Não incluí a palavra "liberal" em conjunto com a referência "conservadora" e "tradicionalista" porque são duas ideologias diferentes.

É neste ponto que começam as minhas divergências uma vez que os princípios e fundamentos da direita estão muito mais próximos do liberalismo do que em relação ao conservadorismo e tradicionalismo. No entanto, podemos incluir os valores Deus, Pátria e Família em qualquer dos ramos mencionados.

O liberalismo está mais virado para aqueles que não gostam de uma economia controlada pelo Estado e preferem um mercado mais activo, com poucas regras e baseado num simples aperto de mão. O mesmo acontece na vida privada, já que os valores políticos não servem só crenças e convicções colectivas. Posto isto, o Liberal é aquele que quer "decidir por si mesmo". E isto não tem nada a ver com ser conservador, uma vez que este precisa da ajuda de todos para conseguir alguma coisa na vida. Por seu lado, o tradicionalista está eternamente a pensar no passado.

A direita tem de fazer vários caminhos e não pode meter tudo no mesmo saco sob pena de acabar engolida pela esquerda, força ideológica que pode agregar socialistas, marxistas, os chamados radicais, leninistas e outros que aparecem do nada. Contudo, na minha opinião o caminho mais correcto para a direita é o do liberalismo.

Sem comentários:

Share Button