Etiquetas

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O poder nasceu na rua

O novo governo interino ucraniano foi eleito na Praça da Independência, tendo como seu líder Arsenyy Yatseniuk, mas o mais grave é o facto de alguns membros do governo serem manifestantes que estiveram na origem de centenas de mortos durante os confrontos da semana passada, neste momento o conflito passou para a Crimeia.

O governo de Yatseniuk terá como orientação presidencial o boxeur Vitaly Klitscko que se candidata às presidenciais e só não temos a presidiária Yulia Tymoschenko devido ao estado de saúde em que se encontra. 

Espero que a UE e os Estados Unidos não embarquem nesta farsa e sejam firmes quando o país pretender entrar na organização comunitária. Não concordo com a política ditatorial de Yanukovich mas o poder não pode cair na rua e muito menos nascer das manifestações ilegais e que origina a colocação de activistas no governo, por provisório que seja. 

Concordo com alguns manifestantes que não querem a Ucrânia liderada por um ditador mas a solução encontrada não é a melhor, nem vai garantir estabilidade ao país, não só por causa dos acontecimentos na Crimeia, mas porque os eleitos não têm legitimidade democrática suficiente para garantir coesão nacional. Não falo da forma estapafúrdia em como eleitos os novos membros do governo mas da orientação política dos mesmos. Será que têm alguma ideologia? O que se sabe sobre as suas visões para o país? Na minha opinião a oposição de Yanukovich conseguiu controlar o país de forma astuta mas acho que dificilmente irão obter o apoio de Bruxelas e Washington. Pelo menos nestas condições. 

Enquanto a oposição ucraniano se diverte a brincar à democracia, a Rússia vai criando instabilidade no leste do país. Vladimir Putin a ganhar pontos mais uma vez. 

Sem comentários:

Share Button